OFERTA FORMATIVA

Não existem ações.

Ref. 147ACD 22/23.14 A decorrer

Registo de acreditação: ACD 22/23.14

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 19-11-2022

Fim: 14-12-2022

Regime: Presencial

Local: Museu Nacional de Arte Antiga

Formador

Irina Duarte

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães/Plano Nacional das Artes e Museu de Arte Antiga

Razões

O Museu Nacional de Arte Antiga caracteriza-se pela excecional relevância das coleções que apresenta, conserva e preserva. Numa viagem que se estende do século XII até meados do século XIX, constitui-se como uma ferramenta essencial a uma leitura transversal da história da cultura e das mentalidades, sobretudo europeias, proporcionando ainda uma narração identitária da história de Portugal e da sua projeção no mundo. Neste sentido, e atendendo à enorme afluência das escolas ao MNAA cumpre-nos dar a conhecer as coleções do museu ao público docente, nesta ACD com foco na importância das emoções na experiência estética no MNAA, dotando-o de conhecimento e competências de exploração das obras, de forma a poder desenvolver autonomamente visitas ao museu e/ou exploração das mesmas em contexto de sala de aula.

Objetivos

→ Potenciar o conhecimento do património nacional junto de professores e alunos; → Desenvolver a sensibilidade estética; → Valorizar a obra de arte como fonte de conhecimento; → Ensinar a ver, conhecer e compreender a linguagem visual; → Desenvolver a criatividade e espírito crítico;

Conteúdos

→ As obras de arte como desbloqueadoras de uma multiplicidade de emoções no ser humano, que assim introduzem a descoberta estética e a construção de narrativas. → O impacto da aprendizagem estética e emotiva → A possibilidade de a relação entre o homem e a arte conduzir a transformações no mundo atual e, sobretudo, no sujeito individual.

Metodologias

Com base em metodologias construtivas, ativas e dialéticas, suscitar a aprendizagem histórica das coleções do Museu Nacional de Arte Antiga. Despertar para a consciência das implicações de determinadas obras de arte na transformação de mentalidades, de sociedades e, assim, talvez do mundo. Revelar a intemporalidade da obra de arte e o seu permanente poder.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Custódia de Belém. Gil vicente, 1506 Alexandre de Médici. Jacopo Pontormo. 1534 Danaide. Auguste Rodin, 1893


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 19-11-2022 (Sábado) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 139PPD 22/23.05 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-106862/19

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 09-11-2022

Fim: 14-12-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides

Formador

Ana Rita Correia

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

A avaliação pedagógica tem assumido uma centralidade inegável nas políticas educativas e curriculares, com efeitos concretos nas práticas de ensino e aprendizagem, designadamente na promoção do “sucesso escolar”. A publicação do Decreto-Lei nº 55/2018, de 6 de julho, consagra mudanças significativas ao nível do currículo, assumindo um dos seus princípios orientadores: a “afirmação da avaliação das aprendizagens como parte integrante da gestão do currículo enquanto instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens”. Refere ainda o caráter formativo da avaliação pedagógica como um dos pilares da melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem. Importa, pois, que os professores consolidem estas mudanças de modo contextualizado e que aprofundem competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens, nomeadamente, através de desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. Deste modo, visa-se capacitar e apoiar os docentes para a construção dos recursos inovadores necessários e ajustados aos seus contextos educativos específicos, promovendo-se ainda a implementação e análise dos mesmos, tendo em vista o seu aperfeiçoamento ou reformulação.

Objetivos

Contribuir para o desenvolvimento de competências e conhecimentos no domínio da avaliação, em geral, e da avaliação pedagógica, em particular, congruentes com o real conteúdo das orientações constantes nos documentos legais; - Promover práticas de trabalho colaborativo e cooperativo na construção e desenvolvimento de projetos de avaliação pedagógica em contexto de sala de aula; - Elaborar recursos educativos de suporte ao desenvolvimento dos projetos de avaliação pedagógica; - Permitir a troca de materiais e experiências, o esclarecimento de dúvidas e a geração de ideias e projetos de natureza pedagógica e didática; - Incrementar práticas de formação de natureza investigativa que confiram competências aos professores para lidar com a mudança e a inovação no âmbito da avaliação pedagógica.

Conteúdos

1. Enquadramento curricular: documentos de referência – 3 horas; 2. Natureza e Fundamentos da Avaliação - 1 hora; 3. Avaliação formativa e avaliação sumativa - 4 horas; 4. Feedback: natureza, distribuição e utilização por alunos e professores- 4 horas; 5.Aprendizagens Essenciais, Critérios de avaliação, Descritores de Níveis de Desempenho e de Standards. - 4 horas; 6. Processos de recolha de informação - 4 horas; 7. Apresentação, discussão e avaliação dos projetos e materiais desenvolvidos no âmbito da oficina - 5 horas.

Metodologias

Sessões presenciais Neste âmbito, os formandos desenvolverão trabalho colaborativo e cooperativo, com o devido enquadramento teórico, em torno da construção de projetos e de materiais para a respetiva implementação em contexto real de aprendizagem, assim como a reflexão crítica, a par e passo, sobre os resultados obtidos e as mudanças que deverão ser adotadas. Sessões autónomas Estas sessões serão realizadas em contexto real de aprendizagem com o desenvolvimento e a aplicação dos projetos pedagógicos e didáticos, assim como dos materiais elaborados numa lógica de investigação-ação, sendo criada uma comunidade de prática.

Avaliação

De acordo com o RJFCP – Decreto-Lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro - e nos termos dos nºs 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, valorizando-se uma lógica formativa e de acompanhamento. Assim, a avaliação dos formandos terá incidência: (1) Na participação e no trabalho contínuo realizado ao longo das sessões presenciais; (2) Na componente de trabalho individual, tendo em conta a qualidade dos projetos e materiais produzidos e apresentados em plenário.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Brookhardt, S. (2013). How to create rubrics for formative assessment and grading. ASCD: Alexandria, Virginia. Brookhardt, S. (2008). How to give effective feedback to your students. ASCD: Alexandria, Virginia. Fernandes, D. (2011). Articulação da aprendizagem, da avaliação e do ensino: Questões teóricas, práticas e metodológicas. J. M. DeKetele & M. P. Alves (Orgs.), Do currículo à avaliação, da avaliação ao currículo, pp. 131-142. Porto: Porto Editora. [http://repositorio.ul.pt/handle/10451/6988] Fernandes, D. (2004). Avaliação das aprendizagens: Uma agenda, muitos desafios. Cacém: Texto Editores. [http://repositorio.ul.pt/handle/10451/5509]

Anexo(s)

Ficha da Ação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 09-11-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial
2 16-11-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 21:30 4:30 Presencial
3 30-11-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial
4 07-12-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial
5 14-12-2022 (Quarta-feira) 17:00 - 21:30 4:30 Presencial
6 15-12-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Presencial

Ref. 153PPD 22/23.07 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114186/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 05-11-2022

Fim: 07-06-2023

Regime: Presencial

Local: Sociedade de Instrução Guilherme Cossoul

Formador

Teresa Garcia Fernandes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães/ Os Filhos de Lumière

Razões

Esta formação integra um projeto mais alargado, promovido a nível internacional pela Associação Europeia das Cinematecas, e pela Associação Le Cinema Cent Ans de Jeunesse (entre outras) e a nível Nacional por Os Filhos de Lumière. Esta associação candidatou-se ao programa Erasmus com a parceria de entidades (2 Cinematecas e 2 Associações para a Pedagogia) de 4 dos países (Alemanha, Bulgária, França e Portugal), tendo recebido apoio financeiro para os próximos 3 anos, com o objetivo de recolher dados, analisar e avaliar este projeto pedagógico, em colaboração com duas Universidades (uma em França e outra na Alemanha), culminando com divulgação desta metodologia singular através da edição de um livro. Neste projeto estão envolvidas 4 escolas parceiras, uma de cada um destes países, sendo a Escola Secundária Marquês de Pombal a que representa Portugal. O programa internacional “Cinema, Cem Anos de Juventude” (CCAJ) que aborda todos os anos um tema diferente (migração, bullying, …) para a descoberta do cinema e encontro com os outros e com o mundo, desenvolve e aprofunda um método pedagógico que envolve 16 países, da Europa e outros continentes, juntando cineastas e professores estudando novas abordagens adaptadas aos diversos contextos e faixas etárias dos alunos, procurando ligar o VER e o FAZER, através de uma escolha e análise de excertos de filmes. Esta oficina pretende contribuir para a criação de um dispositivo de reflexão sobre o que é o cinema e pensá-lo do ponto de vista da sua relação com o que nos rodeia e com os outros. Trata-se, pois, de explorar uma metodologia inovadora em que a matéria cinematográfica é a sua base principal e cuja análise vai revelando as ideias e sentidos que se escondem em cada filme.

Objetivos

Esta Oficina proporciona aos professores contacto com uma prática inovadora de Educação Artística que a investigação tem considerado como tendo bons resultados na educação das novas gerações, visando a prática de Educação ao Cinema como expressão artística. Os professores vão aprender a utilizar o equipamento técnico de imagem, de som e de montagem. Os professores vão desenvolver as suas capacidades de ver, analisar e decifrar um filme, utilizando ferramentas de interpretação do plano e da sequência do filme. Os professores vão autonomizar-se na utilização de ferramentas, promovendo a sua literacia fílmica. Os professores vão recorrer a uma metodologia da análise fílmica que passarão aos alunos, com reflexos numa nova forma de ver, escutar e criticar os filmes e as suas temáticas.

Conteúdos

1. Proposta e reflexão sobre as pistas pedagógicas a trabalhar ao longo do ano e de regras do jogo para a realização de exercícios filmados. (2 horas) 2. Visionamento, reflexão e diálogo sobre o aproveitamento pedagógico de um filme que irá fazer parte da questão do ano em trabalho. (3 horas) 3. Exemplificação da utilização do equipamento fílmico e aplicação em pequenas gravações. (6 horas) 4. Visionamento dos exercícios filmados e reflexão e discussão sobre os seus resultados. (8 horas 5. Apresentação e reflexão sobre os filmes finais e sobre os seus processos (6 horas)

Metodologias

Esta formação envolve sessões presenciais que serão espaçadas ao longo do ano letivo, em que se poderá contar com a presença de cineastas e profissionais de cinema, para além dos formadores, em que se abordam questões teóricas e técnicas, num total de 25 horas. Entre as sessões presenciais decorrerão sessões de trabalho autónomo, em que os professores põem em práticas as aprendizagens que vão efetuando, com os seus alunos, num total de 25 horas. Nestas sessões, os professores têm a responsabilidade de preparar – através da forma metodológica participativa – as várias fases do programa, orientando e apoiando os alunos nas suas investigações e descobertas do tema e abordagem ao processo criativo. Nestas horas será estabelecido um guião e proceder-se-á à filmagem que constitui o produto final a ser apresentado na última sessão, sujeito a analise e avaliação.

Avaliação

• Os formandos são avaliados tendo em conta a sua participação e o trabalho realizado nas sessões presenciais, o trabalho desenvolvido nas sessões autónomas, registado nas folhas de sumários e o filme produzido a ser apresentado na última sessão, e, ainda, o relatório final de que consta a aplicabilidade dos conteúdos abordados nesta oficina à sua atividade letiva. • Os formandos serão avaliados conforme legislação em vigor com base numa Escala classificativa de 1 a 10 valores com arredondamento à décima e com os seguintes critérios aprovados pela Comissão Pedagógica: De 1 a 4,9 valores – Insuficiente (zero créditos); de 5 a 6,4 valores – Regular; de 6,5 a 7,9 valores – Bom; de 8 a 8,9 valores – Muito Bom; de 9 a 10 valores – Excelente; (100% dos créditos previstos

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Alain Bergala (2009). “L’Hypothèse Cinéma - Petit Traité de transmission du cinéma á l’école et ailleurs”. Ed Cahiers du Cinéma /essais. André Bazin (2018). “O que é o Cinema?” Ubu Editora Jean Claude Fozza, Anne-Marie Garat, Françoise Parfait. (1988). Petite Fabrique de l’Image. Ed Magnard. Jacques Aumont, Alain Bergala, Michel Marie, Marc Vernet (2014). “Esthétique du Film”. Editeur : Armand Colin. Laurent Jullier e Michel Marie. (2009). “Lendo as Imagens do Cinema” . Ed Senac (S. Paulo).

Anexo(s)

Ficha da ação


Observações

Após a inscrição pode proceder ao pagamento transferindo a verba de 15,00 € utilizando o: NIB: 0781 0112 0112 0012 91 310 ou IBAN: PT500 781 01 120 112 001 291 310 Após efetuar o pagamento deve carregar o comprovativo de transferência na conta de formando.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 05-11-2022 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 05-11-2022 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
3 23-11-2022 (Quarta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
4 23-11-2022 (Quarta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
5 25-03-2023 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
6 25-03-2023 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
7 07-06-2023 (Quarta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
8 07-06-2023 (Quarta-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

Ref. 128TIC 22.23.10 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116818/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 04-11-2022

Fim: 10-12-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides e on-line

Formador

Hugo Renato Peres Caldeira

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

- Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

Presencial- As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho autónomo - Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME.

Anexo(s)

Ficha da Ação


Observações

Todos os Formadores desta Oficina de Formação, realizaram a Ação de Formação: "Formação de Formadores de Capacitação Digital de Docentes" com o número de acreditação CCCFC/ACC-108771/20, promovida pela Direção Geral de Educação.

Ação restrita aos Professores dos Agrupamentos de Escolas e Escolas Associadas do Centro de Formação Calvet de Magalhães. Professores com o Nível de Proficiência 2, ou que tenham frequentado o Nível 1 com aproveitamento.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 04-11-2022 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 05-11-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
3 05-11-2022 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona
4 18-11-2022 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
5 19-11-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
6 19-11-2022 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona
7 10-12-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
8 10-12-2022 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Online síncrona

Ref. 126TIC 22/23.02 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117002/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 02-11-2022

Fim: 14-12-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides e b-learnig

Formador

Ana Cláudia Ferreira Amaral

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. De acordo com o artigo 15.º da Portaria n.º 192-A/2015, de 29 de junho, esta ação de formação releva para a progressão da carreira dos professores bibliotecários, incluindo-se na dimensão científica e pedagógica.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino

Metodologias

Presencial - As sessões presenciais/síncronas são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho Autónomo -Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)

Ficha da Ação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-11-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial
2 08-11-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 15-11-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 16-11-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 22-11-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 23-11-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 30-11-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 14-12-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial

Ref. 126TIC 22/23.09 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117002/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 25-10-2022

Fim: 13-12-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides e on-line

Formador

Paula Rolo Abrantes

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. De acordo com o artigo 15.º da Portaria n.º 192-A/2015, de 29 de junho, esta ação de formação releva para a progressão da carreira dos professores bibliotecários, incluindo-se na dimensão científica e pedagógica.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino

Metodologias

Presencial - As sessões presenciais/síncronas são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho Autónomo -Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)

Ficha da Ação


Observações

Ação restrita aos Professores dos Agrupamentos de Escolas e Escolas Associadas do Centro de Formação Calvet de Magalhães. Professores com o Nível de Proficiência Digital 1.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 25-10-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 04-11-2022 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 08-11-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 15-11-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 22-11-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
6 29-11-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 06-12-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 13-12-2022 (Terça-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial

Ref. 127PPD 22/23.01 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114397/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 18-10-2022

Fim: 07-03-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides e on-line

Formador

Ana Sofia Ferreira Caseiro

Destinatários

Professores do 1º Ciclo;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães/ Escola Superior de Educação de Lisboa/Instituto Politécnico de Lisboa

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 110 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática no Ensino Básico, procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: - Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; - Estar dotados do conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; - Realizar práticas de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 1.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Metodologias

Presencial - A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada decorridos cerca de 2/3 da formação. Sessões presenciais (momentos em pequenos e em grande grupo): análise e discussão das orientações curriculares das AE e de textos teóricos que as suportam e apresentação e discussão da intervenção na prática letiva. Sessões síncronas: resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor nessas sessões poderão incluir a resolução de tarefas para alunos, o seu enquadramento curricular, a análise de produções matemáticas e de episódios de sala de aula. Trabalho Autónomo- Leitura das AE e de textos disponibilizados, na planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais e nas sessões síncronas, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Canavarro, A. P. (2009). O pensamento algébrico na aprendizagem da Matemática dos primeiros anos. Quadrante, 16(2), 81-118. Canavarro, A. P., Oliveira, H., & Menezes, L. (2012). Práticas de ensino exploratório da matemática: O caso de Célia. In A. P. Canavarro, L. Santos, A. Boavida, H. Oliveira, L. Menezes, & S. Carreira (Eds.), Investigação em Educação Matemática – Práticas de ensino da Matemática, Livro de Atas do Encontro de Investigação em Educação Matemática EIEM2012 (pp. 255-266). Castelo de Vide: SPIEM. Educação e Matemática, 2022, nº 162 (número temático sobre pensamento computacional) Henriques, A., & Oliveira, H. (2012). Investigações estatísticas. Um caminho a seguir? Educação e Matemática, 120, 3-8. NCTM (2017). Princípios para a Ação. Lisboa: APM

Anexo(s)

Ficha da Ação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 18-10-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
2 03-11-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
3 15-11-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
4 29-11-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
5 13-12-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
6 03-01-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
7 17-01-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
8 31-01-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Presencial
9 23-02-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
10 07-03-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona

Ref. 143TIC 22/23.05 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114858/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 18-10-2022

Fim: 06-12-2022

Regime: e-learning

Local: On-line, síncrono (Teams)/assíncrono

Formador

Maria João do Rosário Gomes Esteves

Hugo Renato Peres Caldeira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

A proficiência digital das organizações educativas é fundamental para a melhoria do trabalho desenvolvido nas escolas. Neste quadro, considera-se, ainda, da maior importância o desenvolvimento das competências digitais dos docentes, dada a sua relevância para o ensino e a aprendizagem. Neste quadro, os AE/Ena foram convidados a elaborar o seu PADDE, que pretende ser um instrumento orientador e facilitador da adaptação e implementação das tecnologias digitais nos processos de ensino e de aprendizagem, bem como, apoiar as escolas a refletir e definir estratégias que permitam a exploração do potencial do digital integrando-o de forma holística na organização. Para que PADDE tenha o impacto esperado nas escolas, torna-se fundamental criar estratégias e instrumentos eficazes, tendo este curso o propósito de apoiar as EDD e as escolas no acompanhamento, monitorização, avaliação e reformulação dos PADDE.

Objetivos

Pretende-se apoiar as EDD das escolas no desenvolvimento de estratégias de monitorização e avaliação das ações inscritas no PADDE, que permitam melhorar a qualidade do trabalho em curso. Na formação pretende-se que as EDD, com o apoio dos ED, implementem estratégias de monitorização, avaliação, comunicação dos resultados e reformulação do PADDE da sua Escola, num processo em rede e promotor de mudança organizacional e pedagógica. São objetivos específicos da oficina: refletir sobre processos organizativos, pedagógicos e tecnológicos que promovam a qualidade do processo educativo; conceber e implementar estratégias de monitorização, avaliação e comunicação dos PADDE; desenvolver estratégias de diagnóstico e reflexão conducentes à reformulação do PADDE.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem da necessidade de capacitar as EDD para que realizem trabalho de monitorização da implementação das ações inscritas nos PADDE, de modo a aferir a execução dos respetivos objetivos e necessidade de ajustes à sua operacionalização. Surgem, ainda, da importância de os ED afetos aos CFAE acompanharem esse processo, apoiando as EDD nas ações de monitorização, de avaliação, de comunicação e de reformulação dos PADDE. As alterações anuais à constituição das EDD reforça a necessidade de apoiar as escolas em todo o processo, desde a conceção à avaliação dos planos. Contextualização do Plano de Ação para a Transição Digital e da importância dos PADDE na melhoria do trabalho educativo das escolas Exploração do Roteiro de Apoio à Monitorização e Acompanhamento dos PADDE Assistente de apoio à inovação pedagógica através da utilização de ferramentas certificadas Processos de acompanhamento e monitorização da implementação do PADDE Estratégias de comunicação do PADDE e das ações implementadas Avaliação, diagnóstico e reformulação do PADDE

Metodologias

A presente ação é dinamizada na modalidade de e-learning, com recurso a diversas ferramentas, nomeadamente um sistema de gestão de aprendizagem (LMS) e ferramentas de comunicação síncrona. A formação decorrerá num espaço virtual organizado com os conteúdos de formação disponibilizados e onde decorrem interações múltiplas (síncronas e assíncronas) entre formador-formando e formando-formando. O contexto de formação visa estimular a criação de momentos de partilha e reflexão no âmbito das práticas de monitorização e avaliação das ações do PADDE e dos seus resultados. A ação de formação tem como quadro geral de referência metodológico o construtivismo e a aprendizagem colaborativa, assentando em princípios como a formação participada e experiencial e a ação refletida.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos desenvolvidos pelos formandos, bem como a elaboração de trabalhos individuais.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdf Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Kampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally-Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 18-10-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 02-11-2022 (Quarta-feira) 20:30 - 22:30 2:00 Online assíncrona
3 08-11-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
4 15-11-2022 (Terça-feira) 20:30 - 23:30 3:00 Online assíncrona
5 17-11-2022 (Quinta-feira) 20:30 - 23:30 3:00 Online assíncrona
6 22-11-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online assíncrona
7 02-12-2022 (Sexta-feira) 20:30 - 22:30 2:00 Online assíncrona
8 05-12-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
9 06-12-2022 (Terça-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 131PPD 22.23.02 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116412/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 27-09-2022

Fim: 28-02-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides e on-line

Formador

Susana Cristina Cordeiro Serra

Destinatários

Professores do 2º Ciclo do grupo 230, selecionados e indicados pelas direções dos Agrupamentos de Escolas/Escolas associados(2 por Agrupamento).

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo do grupo 230, selecionados e indicados pelas direções dos Agrupamentos de Escolas/Escolas associados(2 por Agrupamento)..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 230 para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico, destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem ser capazes de: • Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; • Estar capacitados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; • Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e alertados para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 2.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Metodologias

A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada a partir de 2/3 da formação. Sessões presenciais (momentos em pequenos e em grande grupo): análise e discussão das orientações curriculares das AE e de textos teóricos que as suportam e apresentação e discussão da intervenção na prática letiva. Sessões síncronas: resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor nessas sessões poderão incluir a resolução de tarefas para alunos, o seu enquadramento curricular, a análise de produções matemáticas e de episódios de sala de aula. Trabalho autónomo: leitura das AE e de textos disponibilizados para: planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e na elaboração de um trabalho final individual.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais e nas sessões síncronas, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158 Educação e Matemática, 162 NCTM (2017). Princípios para a ação. Lisboa: APM. Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11. Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM.

Anexo(s)

Ficha da Ação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 27-09-2022 (Terça-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
2 11-10-2022 (Terça-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
3 25-10-2022 (Terça-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
4 15-11-2022 (Terça-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
5 29-11-2022 (Terça-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
6 13-12-2022 (Terça-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
7 03-01-2023 (Terça-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
8 17-01-2023 (Terça-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Presencial
9 14-02-2023 (Terça-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona
10 28-02-2023 (Terça-feira) 16:30 - 19:00 2:30 Online síncrona

Ref. 132PPD 22.23.03 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116411/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 26-09-2022

Fim: 14-02-2023

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides e on-line

Formador

Paula Gomes

Destinatários

Professores do 3º Ciclo do Ensino Básico

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 3º Ciclo do Ensino Básico.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães/Universidade de Lisboa/IE

Razões

No âmbito do projeto Contexto e Visão para a revisão curricular das Aprendizagens Essenciais em Matemática, em agosto de 2021 foram homologadas as novas Aprendizagens Essenciais de Matemática para o Ensino Básico (Despacho n.º 8209/2021, de 19 de agosto) que entrarão em vigor a partir do ano letivo: a) 2022/2023, no que respeita aos 1.º, 3.º, 5.º e 7.º anos de escolaridade; b) 2023/2024, no que respeita aos 2.º, 4.º, 6.º e 8.º anos de escolaridade; c) 2024/2025, no que respeita ao 9.º ano de escolaridade. Tendo consciência da necessidade de formação dos professores do grupo 500, para a operacionalização destes novos documentos curriculares em Matemática do Ensino Básico procurar-se-á desenvolver uma formação focada em aspetos específicos das novas AE de Matemática para o Ensino Básico (AE, 2021), destacando o que de mais significativo e novo existe nestes documentos curriculares.

Objetivos

No final da formação, os professores participantes devem: • Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática; • Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; • Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 3.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada): - Caracterização das novas AE de Matemática - Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática - Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos. Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada): - Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover - Análise de produções de alunos - Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor - Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada): - Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas) - Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo) - Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro). A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.

Metodologias

A periodicidade deverá ser variável: começando de forma mais concentrada, passando a ser mais espaçada a partir de 2/3 da formação. Sessões presenciais (momentos em pequenos e em grande grupo): análise e discussão das orientações curriculares das AE e de textos teóricos que as suportam e apresentação e discussão da intervenção na prática letiva. Sessões síncronas: resolução e discussão de tarefas de formação e planificação e reflexão de uma intervenção na prática. As tarefas de formação a propor nessas sessões poderão incluir a resolução de tarefas para alunos, o seu enquadramento curricular, a análise de produções matemáticas e de episódios de sala de aula. Trabalho autónomo: leitura das AE e de textos disponibilizados para: planificação, concretização e reflexão da intervenção na prática, preparação da apresentação, em pequenos grupos, dessa intervenção e elaboração de um trabalho final individual.

Avaliação

A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a realização e discussão das tarefas propostas nas sessões presenciais e nas sessões síncronas, a planificação de tarefas para os alunos e análise da sua realização na sala de aula, e o trabalho final elaborado pelos formandos. O trabalho final deverá ser uma reflexão escrita individual sobre a formação, as aprendizagens realizadas e capacidades desenvolvidas, e a sua participação na formação.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Educação e Matemática, 158 (Temático sobre avaliação). Educação e Matemática, 162 (Temático sobre pensamento computacional). NCTM (2017) Princípios para a ação. Lisboa: APM. Ponte, J. P., Quaresma, M., & Mata Pereira, J. (2020). Como desenvolver o raciocínio matemático na sala de aula? Educação e Matemática, 156, 7-11. Veloso, E. (2012). Simetria e transformações geométricas. Lisboa: APM.

Anexo(s)

Ficha da Ação


Observações

Docentes do Grupo 500 selecionados e indicados pelas direções dos Agrupamentos de Escolas/Escolas associados(2 por Agrupamento). Formadora: Paula Cristina Marques Gomes

Docentes do Grupo 500 selecionados e indicados pelas direções dos Agrupamentos de Escolas/Escolas associados(2 por Agrupamento).

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 26-09-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
2 03-10-2022 (Segunda-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
3 11-10-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
4 25-10-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
5 15-11-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
6 29-11-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
7 13-12-2022 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
8 03-01-2023 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Presencial
9 31-01-2023 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona
10 14-02-2023 (Terça-feira) 17:00 - 19:30 2:30 Online síncrona

Ref. 138ACD 22/23.04 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.04

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 03-12-2022

Fim: 03-12-2022

Regime: e-learning

Local: On-line, síncrono (Teams)

Formador

Hugo Renato Peres Caldeira

Destinatários

Presidentes e membros do Conselho Geral, Diretores de AE/ENA, Diretores de CFAE, Subdiretores, Adjuntos da Direção, Coordenadores de Estabelecimento, Coordenadores de Departamento e outras Liderança.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

A avaliação, a aprendizagem e o ensino são três processos pedagógicos incontornáveis e fundamentais que devem ser devidamente compreendidos por todos os intervenientes nos sistemas educativos (e.g., docentes, gestores escolares, decisores políticos, encarregados de educação). A avaliação, em qualquer nível de ensino, só fará real sentido se estiver fortemente articulada, ou mesmo integrada, com o ensino e com a aprendizagem. No contexto de mudanças significativas ao nível da gestão do currículo, e face à necessidade de apoiar os professores e as escolas no processo de melhoria das práticas de avaliação pedagógica, foi definido o Projeto MAIA que visa contribuir para um incremento das competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens por parte dos professores e apoiar e acompanhar as escolas no desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação. No processo de operacionalização do Projeto MAIA, quer no âmbito dos CFAE, quer no âmbito de cada escola, as lideranças desempenham uma função indispensável e decisiva, pelo que importa enquadrar e explicitar os processos e dinâmicas de formação e de melhoria das práticas pedagógicas que são propostas aos professores e às escolas.

Objetivos

- Compreender a natureza, os processos e as finalidades do Projeto MAIA; - Clarificar a dinâmica de formação, designadamente a conceção, discussão e implementação dos Projetos de Intervenção; - Analisar o papel das lideranças no âmbito das dinâmicas de formação e de melhoria das práticas pedagógicas; - Explicitar os princípios e fundamentos da avaliação pedagógica, designadamente no âmbito na definição de uma política de avaliação e de classificação.

Conteúdos

1. Projeto MAIA (3 horas) 1.1. Natureza, os processos e as finalidades do Projeto MAIA (1 hora) 1.2. Princípios, dinâmicas e processos de formação (1 hora) 1.3. Enquadramento legal das práticas de avaliação e de classificação (1 hora) 2. Avaliação pedagógica (3 horas) 2.1. A aprendizagem, o ensino e a avaliação (1 hora) 2.2. Princípios e fundamentos da avaliação pedagógica (1 hora) 2.3. Política de avaliação e de classificação: natureza, papel e propósito dos Projetos de Intervenção (1 hora)

Metodologias

Dinâmica de reflexão e partilha sobre o papel das lideranças. Estas desempenham uma função indispensável e decisiva, pelo que importa enquadrar e explicitar os processos e dinâmicas de formação e de melhoria das práticas pedagógicas que são propostas aos professores e às escolas.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 03-12-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
2 03-12-2022 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona

Ref. 151ACD 22/23.03 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.03

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 02-12-2022

Fim: 02-12-2022

Regime: e-learning

Local: On-line, síncrono (Teams)

Formador

Hugo Renato Peres Caldeira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

O projeto MAIA apresenta como um dos principais eixos de sua ação a formação de professores em articulação direta com os CFAE. Neste âmbito, tendo por base as Oficinas de Formação ou os Círculos de Estudos, importa dar amplitude aos trabalhos e projetos desenvolvidos pelos formandos para além da turma de formação. Neste sentido, esta ACD tem por principal finalidade a partilha dos resultados das ações de formação, encarados na perspetiva de práticas que visam a melhoria das aprendizagens e que ganham com uma discussão aberta e partilhada entre a comunidade mais ampla das escolas associadas ao CFAE.

Objetivos

Partilhar as experiências formativas no âmbito do Projeto MAIA, designadamente os Projetos de Intervenção elaborados no âmbito das Oficina de Formação; - Fomentar as práticas colaborativas e a dinamização de comunidades de prática; - Incentivar o desenvolvimento de práticas que contribuam para a melhoria das aprendizagens dos alunos.

Metodologias

Dinâmica de partilha e análise dos projetos de intervenção MAIA das escolas/agrupamentos. Esta ACD tem por principal finalidade a partilha dos resultados das ações de formação, encarados na perspetiva de práticas que visam a melhoria das aprendizagens.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.


Observações

Esta ACD tem por principal finalidade a partilha dos resultados, designadamente dos Projetos de Intervenção elaborados no âmbito das Oficinas de Formação. Exclusiva para professores/educadores de Escolas e Agrupamentos associados ao CFCM.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-12-2022 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 129ACD 22/23.09 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.09

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 25-11-2022

Fim: 25-11-2022

Regime: Presencial

Local: Biblioteca de Marvila e Canal Youtube da DGEstE -10h às 13h

Destinatários

Professores do Ensino Básico e Secundário

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães/Plano Nacional das Artes e Acesso Cultura

Razões

As tensões que se vivem hoje resultam de reivindicações de justiça social que, apesar de antigas, foram ganhando mais espaço no debate público e tornaram evidente a necessidade de conhecer melhor o passado e de contribuir ativamente na construção do presente e do futuro que desejamos. Tanto os museus como as escolas fazem parte da ampla rede educativa das nossas sociedades. Esta rede é uma oportunidade para juntar esforços e pessoas de diferentes idades – em especial, dos mais novos – em prol da educação para a cidadania esclarecida e a participação democrática. O projeto “Educação para a Cidadania em Museus”, dos Museus Estatais de Berlim, usa os objetos das coleções para capacitar os alunos para a análise de referências visuais, questionar as suas origens, simbologias, estórias, e debater temas controversos como por exemplo a escravatura (antiga e moderna), a ascensão da extrema-direita ou a colonização. Alguns museus em Portugal (como o Museu de Lisboa ou o Centro de Arte Moderna da Fundação Gulbenkian) têm também procurado provocar um outro olhar sobre as suas coleções, convidando os visitantes a conhecer outras versões sobre o passado e a observar de forma mais crítica o presente.

Objetivos

Promover o desejo de participar na vida democrática e a consciência cívica; Refletir sobre o papel dos museus enquanto parte integrante da rede educativa da sociedade; Conhecer programas educativos de museus; Conhecer o projeto “Educação para a Cidadania em Museus” dos Museus estatais de Berlim; Identificar em Portugal museus que provocam um outro olhar sobre as suas coleções, dando a conhecer outras versões sobre o passado; Pensar em formas de colaboração Escola/Museu; Utilizar os objetos das coleções suscitar nos alunos a análise de referências visuais, questionar as suas origens, simbologias, estórias, e debater temas controversos como por exemplo a escravatura (antiga e moderna), a ascensão da extrema-direita ou a colonização; Identificar várias versões do passado; Fomentar uma visão crítica do presente; Valorizar a reflexão, colaboração e partilha, entre agentes educativos diversificados.

Metodologias

Com base em metodologias, reflexivas e colaborativas, sob a forma de Seminário, os formandos têm oportunidade de conhecer espaços museológicos, que facilitam a compreensão de diferentes versões do passado e estimulam o espírito crítico face ao presente. Sendo um seminário com um público alvo diversificado fomenta-se a articulação entre parceiros e instituições, contribuindo para que a escola seja um polo cultural e a comunidade território educativo. Pretende-se que, com recurso à pedagogia das artes e património, vivenciem situações de aprendizagens facilitadoras da implementação de projetos transdisciplinares e desenvolvimento das competências do perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.


Observações

Neste seminário, teremos connosco Leonard Schmieding, que trabalhou para a Prussian Cultural Heritage Foundation, entidade que tutela os museus estatais de Berlim. Juntar-se-ão ainda David Felismino, Museu de Lisboa, e a formadora Susana Gomes da Silva, Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian.

50 Inscrições presenciais e ilimitadas on-line, no Canal https://www.youtube.com/c/DGEstEMinisteriodaeducacao

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 25-11-2022 (Sexta-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial

Ref. 140ACD 22/23.05 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.05

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 24-11-2022

Fim: 30-11-2022

Regime: e-learning

Local: On-line

Formador

Nuno José de Almeida Albano

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

A integração da tecnologia e dos dispositivos móveis no contexto da escola levanta sérios desafios de segurança e exige uma formação esclarecida sobre princípios e modos de atuação assertivos, por um lado, mas também uma atuação consistente preventiva e formativa que se reflita no comportamento responsável por parte de todos dentro ou fora da escola. Com esta ACD pretende-se sensibilizar os formandos para as questões da Cibersegurança promovendo uma utilização crítica, responsável e segura da Internet, dos dispositivos móveis e dos ambientes virtuais.

Objetivos

• Incentivar a reflexão sobre as oportunidades e desafios da segurança no mundo digital; • Valorizar o uso seguro das redes, dos sistemas de informação e dos dispositivos digitais; • Capacitar para o uso seguro da Internet, dos dispositivos móveis e dos ambientes virtuais; • Promover boas práticas de Cibersegurança nas comunidades educativas.

Conteúdos

1: A Cibersegurança: ameaças e cibercrime (1 horas) Neste primeiro ponto é abordada a temática da Cibersegurança de um modo geral. 2: Políticas Seguras nas Escolas (2 horas) Nível de segurança; Segurança Comunicacional e Computacional; Procedimentos CERT-ERA; Medidas técnicas de mitigação do risco de privacidade; O projeto SeguraNet. 3: Conhecer a Rede: os desafios e os riscos (2 horas) A tecnologia e a Sociedade. Os riscos associados à utilização da Internet e dos dispositivos móveis. Medidas de sensibilização para evitar os riscos associados à utilização da Internet e dos dispositivos móveis. As linhas de apoio: Linha Alerta e Linha Ajuda.

Metodologias

Metodologias de acordo com o público-alvo, tendo em vista a informação a comunicar e a sensibilização que se pretende suscitar. Com base na partilha de conhecimento e de experiências, os formandos são incentivados, por pequenos desafios a realizarem aprendizagens significativas com contextualização na escola de origem. Os desafios propostos intercalam a apresentação teórica de conteúdos e são escolhidos com a preocupação de ligação aos contextos e vivências profissionais dos participantes. Serão apresentadas sugestões de leituras e vídeos que ilustram a importância da utilização responsável de tecnologia e de dispositivos móveis, destacando a segurança digital nas Escolas.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 24-11-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
2 30-11-2022 (Quarta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona

Ref. 149ACD 22/23.16 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.16

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 24-11-2022

Fim: 24-11-2022

Regime: Presencial

Local: Auditório do Museu Nacional do Teatro e da Dança

Destinatários

Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães/ Museu Nacional do Teatro e da Dança

Razões

Em 2002, o Centro de Estudos de Teatro celebrou os quinhentos anos da primeira representação teatral de Gil Vicente com um Congresso Internacional de grande envergadura. Dez anos depois, em 2012, comemoraram os 450 anos da publicação da Compilação de Todalas Obras com um colóquio que atualizou o conhecimento sobre a obra de Gil Vicente produzido nessa década que decorrida entre os dois encontros. Agora, passados outros dez anos sobre o último evento o Centro de Estudos de Teatro promove mais um encontro de especialistas que propõem novas perspetivas da obra de Gil Vicente, num ano em que se assinalam 500 anos da transição de reinado de D. Manuel I para o de D. João III.

Objetivos

→ Identificar fases na produção vicentina, propondo critérios e ensaiando algumas hipóteses; → Discutir o ordenamento do Livro das Tragicomédias, buscando defender a confluência em sua organização de propósitos autorais e estratégias editoriais; → Identificar etapas na versificação do teatro de Gil Vicente; → Identificar recursos, utilizados por Gil Vicente, também observados na obra de outros dramaturgos ibéricos, contemporâneos ou posteriores a Gil Vicente; → Compreender a receção moderna do “pai do teatro português” enquanto exercício de estudo dos contextos políticos em que o vicentismo se desenvolveu. → Identificar nas personagens vicentinas a voz dos seus géneros; → Valorizar a obra de Gil Vicente como fonte de conhecimento; → Desenvolver a criatividade e espírito crítico.

Metodologias

Com base em metodologias construtivas, ativas e dialéticas, suscitar a aprendizagem histórica obra de Gil Vicente. Despertar para a consciência das implicações das obras de arte na transformação de mentalidades, de sociedades e, assim, talvez do mundo. Revelar a intemporalidade da obra e o seu permanente poder.

Bibliografia

Custódia de Belém. Gil vicente, 1506 Alexandre de Médici. Jacopo Pontormo. 1534 Danaide. Auguste Rodin, 1893

Anexo(s)

Resumos Colóquio Gil Vicente na Mudança dos Tempos


Observações

Formadores: José Augusto Cardoso Bernardes Ana María Tarrío Márcio Muniz Manuel Calderón Helena Reis Silva Lenora Pinto Mendes Edward Abreu Nuno Meireles Isabel Almeida

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 24-11-2022 (Quinta-feira) 10:00 - 13:15 3:15 Presencial
2 24-11-2022 (Quinta-feira) 15:00 - 17:30 2:30 Presencial

Ref. 148ACD 22/23.15 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.15

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 22-11-2022

Fim: 22-11-2022

Regime: Presencial

Local: Gare Marítima de Alcântara e canal Youtube da DGEstE

Destinatários

Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;Professores do 1º Ciclo;

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães/Plano Nacional das Artes e Museu de Arte Antiga

Razões

As Gares Marítimas de Alcântara e da Rocha do Conde d’Óbidos foram selecionadas pela edição de 2022 do programa Watch do World Monuments Fund entre um dos vinte e cinco sítios patrimoniais que merecem o apoio do WMF, de entre mais de 225 candidaturas oriundas de todo o mundo. A sua seleção neste programa constitui uma oportunidade para iniciar a sua preservação, motivando a sua inclusão na vida urbana dos lisboetas e no debate público dos portugueses, e apostando na divulgação matizada da história para a construção de um diálogo aberto, em especial com as comunidades de países com quem partilhamos uma raiz cultural comum. As gares constituem apenas dois entre vários edifícios que o arquiteto Porfírio Pardal Monteiro (1897-1957) projetou em Lisboa em colaboração com o Ministério das Obras Públicas e Comunicações. Estes equipamentos serão abordados através do contexto histórico-político e do panorama arquitetónico que os definiu, atentando nos planos para desenvolvimento da orla ribeirinha e salientando o contributo de Pardal Monteiro na modernização da cidade de Lisboa, sem olvidar a componente de decoração artística integrada que caracterizou a obra do arquiteto. A emergência do Estado Novo em 1933 constituiu um momento de viragem em Portugal em todos os domínios, alterando nomeadamente as condições de produção artística - sendo os artistas chamados a colaborar na animação, encenação e propaganda - enquadradas na intensa política de construção de obras públicas, num esforço de modernização análogo ao de outros regimes ditatoriais do século XX. É neste contexto vinculado à narrativa institucional do Estado Novo que surge a encomenda publica das pinturas murais para as Gares Marítimas a Almada Negreiros, constituindo este património uma oportunidade válida para analisar, quer os constrangimentos inerentes à encomenda pública por parte de um regime autoritário, quer as possibilidades desenvolvidas pelo artista para a prossecução do seu projeto modernista. Neste âmbito justifica-se ainda relevar o papel fundamental da geometrização das formas como recurso expressivo de modernidade e como um dos principais fatores diferenciadores dos conjuntos de pinturas murais elaborados para cada uma das gares, apesar do curto espaço de tempo que separou a sua concretização. As gares marítimas e os painéis de Almada Negreiros merecem especial atenção no contexto histórico e artístico do século XX, quer pelo seu valor artístico intrínseco, quer pelo testemunho histórico dos grandes movimentos migratórios de Portugal e da Europa (tendo alguns dos quais resultado de conflitos armados, como a Segunda Guerra Mundial ou a Guerra Colonial), convidando a uma reflexão abrangente sobre os desafios da sociedade contemporânea. É no contexto de valorização e potencialização futura deste património cultural que a parceria entre o Plano Nacional das Artes e o World Monuments Fund surge, contribuindo esta programação educativa para fortalecer a sua integração democrática na vivência urbana e cultural de Lisboa e para a sua valorização pelas gerações mais jovens, que serão responsáveis pela sua salvaguarda futura.

Objetivos

I. Conhecer as Gares Marítimas de Alcântara e Rocha Conde de Óbidos; II. Entender o papel das Gares na história, e o seu enquadramento sociológico, político e artístico; III. Facilitar a construção de um diálogo aberto, em especial com as comunidades de países com quem partilhamos uma raiz cultural comum. IV. Reconhecer o contexto histórico-político e o panorama arquitetónico que em que foram desenvolvidos planos de desenvolvimento da orla ribeirinha, salientando o contributo de Pardal Monteiro na modernização da “capital do Império”; V. Destacar constrangimentos impostos aos artistas, através de trabalhos remunerados, encomendados para decoração de edifícios públicos; VI. Caraterizar a evolução da obra de Almada Negreiros, através dos murais das duas gares, salientando a acentuada geometrização das formas da segunda encomenda em relação à primeira, identificando diferenças e estabelecendo considerações; VII. Salientar o papel da arte na promoção da Educação para a Cidadania; VIII. Pensar em formas de colaboração Escola/Gares Marítimas; IX. Utilizar os murais de Almada Negreiros para suscitar nos alunos a análise de referências visuais, questionar as suas origens, simbologias, histórias, e debater temas; X. Identificar várias versões do passado; XI. Fomentar uma visão critica do presente; XII. Valorizar a reflexão, colaboração e partilha, entre agentes educativos diversificados; XIII. Constatar possibilidades para projetos transdisciplinares com recursos à pedagogia das artes e dos patrimónios.

Metodologias

Com base em metodologias, reflexivas e colaborativas, sob a forma de Seminário, os formandos têm oportunidade de conhecer as gares marítimas e o seu envolvente histórico e artístico. Sendo um seminário com um público-alvo diversificado fomenta-se a articulação entre parceiros e instituições, contribuindo para que a escola seja um polo cultural e a comunidade território educativo. Pretende-se que, com recurso à pedagogia das artes e património, identifiquem situações de aprendizagens facilitadoras da implementação de projetos transdisciplinares e desenvolvimento das competências do perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.


Observações

Formador -Simão Palmeirim

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 22-11-2022 (Terça-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial

Ref. 146ACD 22/23.13 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.13

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 19-11-2022

Fim: 19-11-2022

Regime: Presencial

Local: Museu Nacional de Arte Antiga

Formador

Irina Duarte

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães/Plano Nacional das Artes e Museu Nacional de Arte Antiga

Razões

O Museu Nacional de Arte Antiga caracteriza-se pela excecional relevância das coleções que apresenta, conserva e preserva. Numa viagem que se estende do século XII até meados do século XIX, constitui-se como uma ferramenta essencial a uma leitura transversal da história da cultura e das mentalidades, sobretudo europeias, proporcionando ainda uma narração identitária da história de Portugal e da sua projeção no mundo. Neste sentido, e atendendo à enorme afluência das escolas ao MNAA cumpre-nos dar a conhecer as coleções do museu ao público docente, nesta ACD com foco no Barroco, dotando-o de conhecimento e competências de exploração das obras, de forma a poder desenvolver autonomamente visitas ao museu e/ou exploração das mesmas em contexto de sala de aula.

Objetivos

→ Potenciar o conhecimento do património nacional junto de professores e alunos; → Desenvolver a sensibilidade estética; → Valorizar a obra de arte como fonte de conhecimento; → Ensinar a ver, conhecer e compreender a linguagem visual; → Desenvolver a criatividade e espírito crítico.

Conteúdos

→ O Cristianismo em crise → Imagens da Contrarreforma → Pintura de género e natureza-morta → Opulência e o horror ao vazio → Movimento, teatralidade e dramatismo → Retórica e persuasão → Conquistar pelas emoções → Uma nova vida aristocrática

Metodologias

Com base em metodologias construtivas, ativas e dialéticas, suscitar a aprendizagem histórica das coleções do Museu Nacional de Arte Antiga. Despertar para a consciência das implicações de determinadas obras de arte na transformação de mentalidades, de sociedades e, assim, talvez do mundo. Revelar a intemporalidade da obra de arte e o seu permanente poder.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Apostolado. Francisco de Zurbarán, 1633 Martírio de S. Bartolomeu. José de Ribera,1630-1650 Capela das Albertas. Século XVI-XVIII Presépios. Séculos XVIII-XIX Retrato Senhor de Noirmont. Nicolas de Largillière, c. 1700 Centro de Mesa German. Thomas Germain e François-Thomas Germain, França, 1729-1731 Sala Patiño. Áustria, século XVIII


Observações

Formadora: Irina Duarte

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 19-11-2022 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial

Ref. 137ACD 22/23.02 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.02

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 12-11-2022

Fim: 12-11-2022

Regime: e-learning

Local: On-line, síncrono (Teams)

Formador

Hugo Renato Peres Caldeira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

O projeto MAIA apresenta como um dos principais eixos de sua ação a formação de professores em articulação direta com os CFAE. Neste âmbito, tendo por base as Oficinas de Formação ou os Círculos de Estudos, importa dar amplitude aos trabalhos e projetos desenvolvidos pelos formandos para além da turma de formação. Neste sentido, esta ACD tem por principal finalidade a partilha dos resultados das ações de formação, encarados na perspetiva de práticas que visam a melhoria das aprendizagens e que ganham com uma discussão aberta e partilhada entre a comunidade mais ampla das escolas associadas ao CFAE.

Objetivos

- Partilhar as experiências formativas no âmbito do Projeto MAIA, designadamente os Projetos de Intervenção elaborados no âmbito das Oficina de Formação; - Fomentar as práticas colaborativas e a dinamização de comunidades de prática; - Incentivar o desenvolvimento de práticas que contribuam para a melhoria das aprendizagens dos alunos.

Conteúdos

Apresentação, discussão e avaliação, entre pares, dos produtos e resultados das atividades de formação no âmbito do Projeto MAIA, designadamente nas Oficinas e Círculos de Estudos.

Metodologias

Dinâmica de partilha e análise dos Projetos de Intervenção MAIA das escolas/agrupamentos. Esta ACD tem por principal finalidade a partilha dos resultados das ações de formação, encarados na perspetiva de práticas que visam a melhoria das aprendizagens

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-11-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
2 12-11-2022 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona

Ref. 144ACD 22/23.11 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.11

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 12-11-2022

Fim: 12-11-2022

Regime: Presencial

Local: Museu Nacional de Arte Antiga

Formador

Irina Duarte

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães/Plano Nacional das Artes e Museu Nacional de Arte Antiga

Razões

O Museu Nacional de Arte Antiga caracteriza-se pela excecional relevância das coleções que apresenta, conserva e preserva. Numa viagem que se estende do século XII até meados do século XIX, constitui-se como uma ferramenta essencial a uma leitura transversal da história da cultura e das mentalidades, sobretudo europeias, proporcionando ainda uma narração identitária da história de Portugal e da sua projeção no mundo. Neste sentido, e atendendo à enorme afluência das escolas ao MNAA cumpre-nos dar a conhecer as coleções do museu ao público docente, nesta ACD com foco na Idade Média/Renascimento, dotando-o de conhecimento e competências de exploração das obras, de forma a poder desenvolver autonomamente visitas ao museu e/ou exploração das mesmas em contexto de sala de aula.

Objetivos

→ Potenciar o conhecimento do património nacional junto de professores e alunos; → Desenvolver a sensibilidade estética; → Valorizar a obra de arte como fonte de conhecimento; → Ensinar a ver, conhecer e compreender a linguagem visual; → Desenvolver a criatividade e espírito crítico.

Metodologias

Com base em metodologias construtivas, ativas e dialéticas, suscitar a aprendizagem histórica das coleções do Museu Nacional de Arte Antiga. Despertar para a consciência das implicações de determinadas obras de arte na transformação de mentalidades, de sociedades e, assim, talvez do mundo. Revelar a intemporalidade da obra de arte e o seu permanente poder.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Retrato do rei D. João I. Autor desconhecido, 1543-1450 Cruz processional (dita de D. Sancho I). Autor desconhecido, 1214 Painéis de São Vicente. Nuno Gonçalves, c. 1470 Tentações de Santo Antão. Jheronymus Bosch, c. 1510 Inferno. Mestre português desconhecido, c. 1510-1520 São Jerónimo. Albrecht Dürer, 1521 Custódia de Belém. Gil Vicente, 1506


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-11-2022 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial

Ref. 145ACD 22/23.12 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.12

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 12-11-2022

Fim: 12-11-2022

Regime: Presencial

Local: Museu Nacional de Arte Antiga

Formador

Irina Duarte

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães/Plano Nacional das Artes e Museu Nacional de Arte Antiga

Razões

O Museu Nacional de Arte Antiga caracteriza-se pela excecional relevância das coleções que apresenta, conserva e preserva. Numa viagem que se estende do século XII até meados do século XIX, constitui-se como uma ferramenta essencial a uma leitura transversal da história da cultura e das mentalidades, sobretudo europeias, proporcionando ainda uma narração identitária da história de Portugal e da sua projeção no mundo. Neste sentido, e atendendo à enorme afluência das escolas ao MNAA cumpre-nos dar a conhecer as coleções do museu ao público docente, nesta ACD com foco na Expansão portuguesa, dotando-o de conhecimento e competências de exploração das obras, de forma a poder desenvolver autonomamente visitas ao museu e/ou exploração das mesmas em contexto de sala de aula.

Objetivos

→ Potenciar o conhecimento do património nacional junto de professores e alunos; → Desenvolver a sensibilidade estética; → Valorizar a obra de arte como fonte de conhecimento; → Ensinar a ver, conhecer e compreender a linguagem visual; → Desenvolver a criatividade e espírito crítico.

Conteúdos

→ Rotas marítimas → Comércio e evangelização: África, Ásia e Américas → Materiais preciosos e exóticos → Novidades e maravilhas → Da porcelana chinesa à faiança azul e branca → Artes decorativas: cruzamentos e influências → A chegada ao Japão → Lisboa, cidade global

Metodologias

Com base em metodologias construtivas, ativas e dialéticas, suscitar a aprendizagem histórica das coleções do Museu Nacional de Arte Antiga. Despertar para a consciência das implicações de determinadas obras de arte na transformação de mentalidades, de sociedades e, assim, talvez do mundo. Revelar a intemporalidade da obra de arte e o seu permanente poder.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Saleiro. África, Benim, primeiro quartel do século XVI Biombos Namban Autor: 1º par: selo de Kano Naizen (1570-1616). 2º par: Kano Domi (atrib.) Japão, períodos Momoyama (1568-1603)/Edo (1603-1868), 1º par: c. 1606 Contador com trempe. Autor desconhecido. Sind ou Guzarate, final do séc. XVI, início XVII Vista Panorâmica de Lisboa no Século XVIII/Vista de Goa. José Pinhão de Matos, 1715-165 Porcelana chinesa


Observações

Formadora: Irina Duarte

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 12-11-2022 (Sábado) 14:30 - 17:30 3:00 Presencial

Ref. 150AE 22/23. 04 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118230/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 11-11-2022

Fim: 03-12-2022

Regime: e-learning

Local: On-line

Formador

David Miguel

Destinatários

Professores dos Grupos M01 a M38, D06, D09, 250 e 610

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos M01 a M38, D06, D09, 250 e 610. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos M01 a M38, D06, D09, 250 e 610.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

Com esta ação de formação pretende-se proporcionar uma aprendizagem estruturada sobre o Heavy-Metal para que os docentes possam dispor de mais uma ferramenta pedagógica que permita dialogar e comunicar com os seus alunos sobre outros géneros musicais. Especialmente desde o pós II Guerra Mundial, assistiu-se a uma abertura de portas a outros estilos, desde logo o jazz. Ocorre que estes, nos quais se podem incluir rock, pop, hip-hop e heavy-metal, são, não raras vezes, géneros de música que os alunos ouvem até mais que a Música Clássica. Deste modo, a promoção de uma aprendizagem eclética e diversificada, sem descurar a qualidade técnica, estética e científica a que um ensino artístico especializado deve estar associado, configura-se como um dos pontos fundamentais para o ensino de música no Séc. XXI. Podem encontrar-se tanto referências académicas como informais que relacionam o Heavy-Metal com a Música Clássica, destacando-se a muito conhecida imagem de L. v. Beethoven com a frase “Classical Music is just Heavy-Metal without electricity”. Sendo o Heavy-Metal um género com mais de cinquenta anos de história, assistiu-se a um crescimento exponencial de variantes, algumas de elevada sofisticação técnica. Com esta ação de formação pretende-se proporcionar uma aprendizagem estruturada sobre o Heavy-Metal para que os docentes possam dispor de mais uma ferramenta pedagógica que permita dialogar e comunicar com os seus alunos sobre outros géneros musicais.

Objetivos

Compreender o género Heavy-Metal • Estabelecer pontos de comunicação entre Música Clássica e Heavy-Metal com vista à sua articulação pedagógica • Promover o conhecimento de linguagens da música popular • Promover uma perspectiva eclética sobre a aprendizagem musical • Facilitar o acesso a materiais de qualidade • Ouvir repertório representativo e exemplificativo.

Conteúdos

MÓDULO 0 – Introdução Sessão 1 – Introdução ao tema e esclarecimentos sobre a formação (1h) Na sessão 1, os formandos recebem informação sobre o funcionamento da formação, as tarefas a realizar, o regime de avaliação e outros aspetos relevantes. MÓDULO 1 – História do Heavy Metal Sessão 2 – Exposição sintética (2h) Sessão 3 – Aprofundamento dos conceitos (4h) Na sessão 2 (em direto) o formador realizará uma exposição sobre a História do Heavy Metal, recorrendo a bibliografia selecionada, à audição de exemplos e websites de referência, tendo por base diapositivos elaborados pelo formador que sintetizam a informação a aprofundar na sessão 3. Na sessão 3, será disponibilizado um conjunto de materiais para leitura e audição, culminando na realização de uma tarefa que consiste num questionário sobre aspetos históricos, estéticos e técnicos do Heavy Metal. MÓDULO 2 – Incursões clássicas no Heavy Metal Sessão 4 – Exposição sintética (2h) Sessão 5 – Aprofundamento dos conceitos (4h) Na sessão 4 (em direto) o formador realizará uma exposição sobre incursões clássicas no Heavy Metal, nomeadamente a utilização de instrumentos, a aproximação ao género sinfónico e a composição de versões e arranjos em ambos os estilos, tendo por base diapositivos elaborados pelo formador que sintetizam a informação a aprofundar na sessão 5. Na sessão 5, será disponibilizado um conjunto de materiais para leitura e audição, culminando na realização de uma tarefa que consiste num fórum de debate para partilha de experiências, opiniões e referências. MÓDULO 3 – Paralelismos técnicos entre Música Clássica e Heavy Metal Sessão 6 – Exposição sintética (2h) Sessão 7 – Aprofundamento dos conceitos (4h) Na sessão 6 (em direto) o formador realizará uma exposição sobre paralelismos técnicos entre a denominada Música Clássica e o Heavy Metal, nomeadamente, expressividade geral, harmonia, forma, estrutura e outras sofisticações técnicas, recorrendo a bibliografia selecionada, à audição de exemplos e websites de referência, tendo por base diapositivos elaborados pelo formador que sintetizam a informação a aprofundar na sessão 7. Na sessão 7, será disponibilizado aos formandos um conjunto de materiais para leitura e audição, culminando na realização de uma tarefa que consiste num questionário comparativo entre os dois estilos. MÓDULO 4 – Heavy Metal no ensino Sessão 8 – Exposição sintética (2h) Sessão 9 – Aprofundamento dos conceitos (4h)

Metodologias

Cinco módulos constituídos por uma ou duas sessões, dividindo-se as horas em síncronas e assíncronas. As sessões síncronas são realizadas por videoconferência, com som e imagem em direto através de uma aplicação adequada para o efeito (Zoom, Meet, Teams, ou equivalente). A documentação para cada módulo é disponibilizada através de uma plataforma (Moodle, Google Classroom, ou outro adequado) Os Módulos 1, 2, 3 e 4 terminam com a atribuição de uma tarefa relacionada com os conteúdos. Os materiais consistem nas seguintes tipologias: - Documentação elaborada pelo formador com base na literatura científica e/ou outro tipo de fontes credíveis; - Documentação de autores de referência; - Ligações para fontes multimédia relacionadas com os conteúdos da formação.

Avaliação

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS BASEADA NOS SEGUINTES PRESSUPOSTOS: • OBRIGATORIEDADE DE PRESENÇA EM PELO MENOS METADE DAS SESSÕES SÍNCRONAS DE FORMAÇÃO. • OBRIGATORIEDADE DE MARCAÇÃO SIMPLES DE PRESENÇA NA PLATAFORMA NAS HORAS ASSÍNCRONAS DURANTE UM PERÍODO ALARGADO DE TEMPO DISPONÍVEL PARA O EFEITO. • A AVALIAÇÃO CONSISTE NO SOMATÓRIO DE UM CONJUNTO DE TAREFAS: - TAREFA DO MÓDULO 1 (25%) - TAREFA DO MÓDULO 2 (25%) - TAREFA DO MÓDULO 3 (25%) - TAREFA DO MÓDULO 4 (25%) CLASSIFICAÇÃO FINAL: MÉDIA DOS TRABALHOS REALIZADOS CLASSIFICAÇÃO NA ESCALA DE 1 A 10, CONFORME INDICADO NA CARTA CIRCULAR CCPFC – 3/2007 – SETEMBRO 2007, COM A MENÇÃO QUALITATIVA DE: 1 A 4,9 VALORES – INSUFICIENTE; 5 A 6,4 VALORES – REGULAR; 6,5 A 7,9 VALORES – BOM; 8 A 8,9 VALORES – MUITO BOM; 9 A 10 VALORES - EXCELENTE

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Friesen, B. K. & Epstein, J. S. (1994). Rock ‘n’ roll Ain't noise pollution: Artistic conventions and tensions in the major subgenres of heavy metal music. Popular Music and Society, 18:3, 1-17. Kahn-Harris, K. & Hein, F. (2006). Metal studies: une bibliographie. Les Scènes metal, Volume !, 5:2, 19-30. Tagg, P. (1982). Analysing Popular Music: Theory, Method and Practice. Popular Music, 2, 37–67. • Rea, C., Macdonald, P., & Carnes, G. (2010). Listening to classical, pop, and metal music: an investigation of mood. Emporia State Research Studies, 46:1, 1-3 • Pieslak, J. (2007). Re-casting Metal: Rhythm and Meter in the Music of Meshuggah. Music Theory Spectrum, 29:2, 219–246


Observações

Após a inscrição pode proceder ao pagamento transferindo a verba de 60,00 € utilizando o: NIB: 0781 0112 0112 0012 91 310 ou IBAN: PT500 781 01 120 112 001 291 310 Após efetuar o pagamento deve carregar o comprovativo de transferência na conta de formando.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 11-11-2022 (Sexta-feira) 17:00 - 18:00 1:00 Online assíncrona
2 11-11-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
3 12-11-2022 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online assíncrona
4 18-11-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
5 19-11-2022 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online assíncrona
6 25-11-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
7 26-11-2022 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online assíncrona
8 02-12-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
9 03-12-2022 (Sábado) 09:00 - 13:00 4:00 Online assíncrona

Ref. 135ACD 22/23.01 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.01

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 10-11-2022

Fim: 11-11-2022

Regime: e-learning

Local: On-line, síncrono (Teams)

Formador

Hugo Renato Peres Caldeira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

A avaliação, a aprendizagem e o ensino são três processos pedagógicos incontornáveis e fundamentais que devem ser devidamente compreendidos por todos os intervenientes nos sistemas educativos (e.g., docentes, gestores escolares, decisores políticos, encarregados de educação). A avaliação, em qualquer nível de ensino, só fará real sentido se estiver fortemente articulada, ou mesmo integrada, com o ensino e com a aprendizagem. (…). A avaliação não pode nem deve ser encarada como um processo isolado ou desligado do currículo e do desenvolvimento curricular. Nestes termos, as conceções e práticas de avaliação estão intimamente associadas às conceções curriculares e, concomitantemente, às conceções que se sustentam acerca do ensino e da aprendizagem. Isto significa que o entendimento que temos sobre a educação em geral e sobre o papel das escolas, assim como as nossas ideias sobre a aprendizagem e o ensino, influenciam fortemente o que pensamos acerca da avaliação das aprendizagens e das suas práticas. Estas são ideias que deverão orientar as tomadas de decisão a qualquer nível dos sistemas educativos, desde o nível político, passando pelo nível da administração da educação, até ao nível pedagógico no contexto das escolas e das salas de aula. No contexto de mudanças significativas ao nível da gestão do currículo, e face à necessidade de apoiar os professores e as escolas no processo de melhoria das práticas de avaliação pedagógica, foi definido o Projeto MAIA que visa contribuir para um incremento das competências e conhecimentos inerentes ao processo de avaliação das aprendizagens por parte dos professores e apoiar e acompanhar as escolas no desenvolvimento de projetos pedagógicos e didáticos em torno de práticas de avaliação formativa, feedback e participação, critérios de avaliação e processos de recolha de informação.

Objetivos

- Compreender a natureza, os processos e as finalidades do Projeto MAIA; - Explicitar os princípios e fundamentos da avaliação pedagógica; - Justificar a importância da avaliação pedagógica para a melhoria das a aprendizagens dos alunos; - Contribuir para a literacia no âmbito da avaliação das aprendizagens.

Conteúdos

1. Objetivos, organização e relevância do Projeto MAIA - 1h; 2. Natureza e fundamentos da avaliação– 1h; 3. Processos de avaliação pedagógica – 4h: 3.1. Práticas de avaliação pedagógica (formativa e sumativa); 3.2. Feedback: natureza, distribuição e utilização pelos alunos e professores; 3.3. Aprendizagens Essenciais, critérios de avaliação, descrição de níveis de desempenho e Standards; 3.4. Processos de recolha de informação

Metodologias

Dinâmica de reflexão e partilha sobre o projeto MAIA e dos caminhos já percorridos pelas escolas/agrupamentos. Discussão de conceitos e estratégias globais.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.


Observações

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial, que ainda não tenham frequentado Oficinas ou Círculos de Estudos no âmbito do Projeto MAIA, e pretendam rever/aprofundar conceitos, estratégias e práticas.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 10-11-2022 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona
2 11-11-2022 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 142ACD 22/23.10 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.10

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 02-11-2022

Fim: 04-11-2022

Regime: e-learning

Local: On-line

Formador

Marília Alexandra Machado Dias

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

Tendo em conta o enquadramento legal aplicável, é importante promover o desenvolvimento de competências de avaliação externa, explicitando o processo de classificação neste âmbito, tendo em conta a articulação entre os instrumentos de registo da observação de aulas e os parâmetros nacionais da dimensão científica e pedagógica. Torna-se também fulcral harmonizar procedimentos que visem a simplificação e utilidade do processo no desenvolvimento profissional.

Objetivos

- Facilitar a análise reflexiva do quadro normativo da ADD; - Promover competências de observação de aulas; - Refletir e analisar os papeis de cada um dos intervenientes no processo ADD.

Conteúdos

• Quadro normativo aplicável à avaliação do desempenho docente. • Papéis e competências dos intervenientes na avaliação do desempenho docente. • Intervenção dos avaliadores (Interno e Externo); • Práticas e técnicas de observação; • Avaliação e classificação.

Metodologias

Metodologia teórico-prática, com momentos de exposição de conteúdos e momentos de reflexão participada a partir de tarefas realizadas individualmente e/ou em grupo.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 02-11-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 04-11-2022 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online síncrona

Ref. 134AE. 22/23.03 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116587/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 17.0 horas

Início: 21-10-2022

Fim: 23-10-2022

Regime: Presencial

Local: Rua Nova da Trindade 18 2º Esquerdo, 1200-303 Lisboa

Formador

Jorge Miguel da Costa Alves

Destinatários

Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário;.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães/ Academia de Amadores de Música de Lisboa

Razões

Os professores dos grupos de recrutamento, a que esta formação se destina, vêm-se regularmente confrontados com a dificuldade de participar em ações de formação certificadas para a sua área de conhecimento/docência. Por isso, pretende-se através da observação, análise e reflexão das práticas educativas de reconhecidos pedagogos, que haja uma maior consciencialização das necessidades e prioridades que a docência artística musical exige. A otimização da execução instrumental exige um profundo conhecimento tácito dos processos neuromusculares envolvidos. A ânsia de obter resultados imediatos leva muitos instrumentistas a descurarem a eficiência desses processos. Iludidos com a aparente eficácia dos resultados muitos instrumentistas persistem em hábitos cujas consequências nefastas se manifestam quando os automatismos criados são já de difícil erradicação. A partilha de conhecimento e a interdisciplinaridade são dois vetores fundamentais para a construção de uma ação pedagógica mais coerente, dinâmica e enriquecedora. Nesta formação vamos refletir sobre o que é primordial aprender em música e organizar coletivamente situações e ambientes de aprendizagem musical ativa focadas na promoção de aprendizagens musicais significativas para os alunos.

Objetivos

• Perspetivar a(s) problemática(s) atuais do ensino artístico especializado da música; • Promover a articulação do conhecimento entre pares; • Sensibilizar à aproximação entre docentes, construindo um ambiente propício a novas oportunidades de aprendizagem; • Reconhecer a importância do auto conhecimento e consciência corporal; • Observar e experimentar metodologias de ensino/ aprendizagem através da recriação de aulas; • Refletir sobre a capacitação que a música pode desenvolver para a construção do conhecimento; • Aperfeiçoar e reorganizar a ação educativa docente no ensino artístico especializado de música.

Conteúdos

1. [1 hora] Noções de anatomia e fisiologia relevantes para a prática instrumental 2. [2 horas] Origens, princípios e procedimentos da Técnica Alexander Consciência corporal e higiene postural [3 horas] Princípios e metodologias para uma prática instrumental eficiente 3. [2 horas] O processo Psico-motor da Interpretação Musical 4.[2 horas] Albert Markov: Processo de execução musical Imaginar, executar, reagir 5. [4 hora] Principais dificuldades de coordenação e apresentação de soluções para os ultrapassar Problemas relacionados com a mão direita Problemas relacionados com a mão esquerda 6. [3 horas] Hábitos de trabalho e Estudo Consciência – Memória – Coordenação - Objetivos – Prazos

Metodologias

No campo metodológico, esta ação assume um carácter teórico-prático, concretizando-se em sessões presenciais normais, com o acréscimo qualitativo decorrente do convite à participação ativa de personalidades especialistas na parte dos conteúdos a trabalhar, que farão um complemento formativo aos temas expostos. Disponibilizar-se-á um conjunto de estratégias metodológicas que potenciem uma sólida aquisição de competências e saberes, aliado ao desenvolvimento de um espírito desassossegado e crítico, através de: Métodos de ação-reflexão; Debates; Criação de situações de jogo/simulação pedagógica; Exploração de textos (leitura, interpretação e discussão), pesquisa documental e bibliográfica; Ilustração, com o instrumento, pelo professor ou pelo formando (no estudo do material didático bem como na sistematização de questões técnicas ou artísticas); Opções, ainda, do trabalho por pares e em equipa.

Avaliação

Avaliação contínua, por parte do formador, dos trabalhos realizados pelos formandos e apresentados de forma escrita e prática ao longo das sessões. • Elaboração de um relatório sobre a aplicabilidade desta acção na sua actividade profissional. • Os formandos serão avaliados de acordo com a legislação em vigor, numa escala classificativa de 1 a 10 valores com arredondamento à décima e com os seguintes critérios aprovados pela Comissão Pedagógica: De 1 a 4,9 valores – Insuficiente; de 5 a 6,4 valores – Regular; de 6,5 a 7,9 valores – Bom; de 8 a 8,9 valores – Muito Bom; de 9 a 10 valores – Excelente.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Cosme, A. (2018) Autonomia e Flexibilidade Curricular. Porto Editora. Esteireiro, P. (2014). Problemas centrais da educação artística: Reflexões sobre a actualidade e desafios para o futuro. In Estudos sobre Educação e Cultura. Mark, M.; Madura, P. (2014). Contemporary Music Education (4. ed.). USA: Schrirmer Cengage Learning. Meier, G., (2009) The score, the orchestra, and the conductor. New York: Oxford University Press. Mills, J.(2005) Music in the Schools. Oxford University Press.

Anexo(s)

Ficha da Ação


Observações

Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário

Inscrições abertas nos links: Academia https://forms.gle/Wc5CrMLPRCswaJVA8 Centro de Formação Calvet de Magalhães.


Ref. 125TIC 22/23.06 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117392/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 13-10-2022

Fim: 24-11-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides e on-line

Formador

Paulo Jerónimo Vasconcelos de Carvalho

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial. De acordo com o artigo 15.º da Portaria n.º 192-A/2015, de 29 de junho, esta ação de formação releva para a progressão da carreira dos professores bibliotecários, incluindo-se na dimensão científica e pedagógica.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

O Google Workspace é adotado por uma parte significativa das instituições de ensino público nacionais, tendo sido reforçada a sua utilização como consequência das alterações verificadas devido à situação de pandemia recentemente vivida. Torna-se, assim, bastante pertinente a temática abordada na presente ação, de forma a tirar melhor partido dos recursos disponíveis e a promover uma metodologia de trabalho de âmbito colaborativo, otimizando processos de comunicação e feedback que permitam a rápida construção, atualização e partilha de diversos tipos de materiais pedagógicos incluindo texto, imagem, som e vídeo. O ecossistema Google Workspace é composto por um conjunto alargado de ferramentas baseadas na nuvem, sendo o seu núcleo principal constituído pelas seguintes aplicações: • Google SITEs • Google DRIVE. • Google Folhas de cálculo. • Google Documentos. • Google Apresentações. • Google Desenhos. • Google Os meus Mapas. • Google Formulários. • Google Gmail. • Google Calendário (Agenda colaborativa de marcação de todos os tipos de atividades) • Google Fotos. • Youtube (inclui Editor online de clips de vídeo, inserção de banda sonora, etc.) • Google Meet: Para comunicação em tempo real utilizando texto, voz e vídeo. • Google Classroom. • As versões móveis das principais aplicações Google Workspace • Google Chrome.

Objetivos

Este curso de Google Workspace permite iniciar ou aprofundar conhecimentos sobre as ferramentas de comunicação, colaboração e organização da Google para colaborar com outros utilizadores e melhorar processos de trabalho e comunicação. Assim, pretende-se, por parte dos formandos: 1. Capacitação com ferramentas digitais que permitam criar conteúdos na web; 2. Utilização eficaz do Correio eletrónico Escolar; 3. Criação de Filtros e Marcadores na caixa de correio; 4. Criação de páginas de informação com o Google SITEs; 5. Partilha e colaboração dos sites criados; 6. Utilização do Google DRIVE para armazenar, carregar e disponibilizar ficheiros; 7. Criação e gestão de partilha de Documentos, Folhas de cálculo, Apresentações e Formulários; 8. Criação de formulários digitais; 9. Domínio das técnicas de Partilha e Colaboração do ecossistema Google Workspace; 10. Utilização do Fotos e do Youtube como gestores de fotografia e vídeo.

Conteúdos

Correio / Chat / Contactos (2,0h) Criar e enviar mensagens, responder a emails, imagens e anexos, etiquetas e filtros, filtrar mensagens automaticamente, acrescentar contas de email adicionais, criação de contactos e grupos, chat de texto e vídeo. Importar e exportar contactos. Drive (1,5h) Interface do Google drive, upload de ficheiros, conversão de ficheiros para o formato Google, eliminar e recuperar ficheiros, organização e pesquisa de ficheiros. Criar documentos e desenhos. Partilhar ficheiros e colaborar. Documentos (1,5h) Criar e editar documentos, formatar texto, criar índices, inserir imagens e tabelas, copiar, renomear e mover documentos, partilhar documentos, traduzir documentos. Folhas de Cálculo (1,5h) Criar e editar folhas de cálculo, importar ficheiros, converter ficheiros de Excel para Folhas de Cálculo, editar células, editar linhas e colunas, inserir imagens e hiperligações. Formatar dados, usar fórmulas e funções, partilhar folhas de cálculo. Apresentações (2,0h) Planear uma apresentação, ajustar o layout de slides, mudar cores e fundos, inserir imagens, formas, vídeos e gráficos. Adicionar transições e animações. Colaborar. Calendário / Tarefas (1,5h) Interface, navegação e pesquisa. Criar eventos. Convidar participantes. Responder a convites. Criação de calendários. Partilha de calendários Sites (1,5h) Usos para os Sites Google. Escolher um tema e adicionar um logotipo. Gerir ou apagar um site. Adicionar colaboradores para editar o site. Criar e trabalhar com páginas. Adicionar texto, imagens e formulários. Publicar o site. Hangouts / Meet (1,5h) Interface do Hangouts/Meet. Conversas individuais e em grupo. Arquivar conversas de texto. Iniciar uma videochamada. Enviar uma mensagem durante uma chamada. Configurar definições de videochamadas. Formulários (2,0h) Criar um formulário. Adicionar perguntas, imagens, vídeos e secções. Analisar as respostas. Google Keep (2,0h) Interface do Keep. Criar notas e lembretes. Adicionar colaboradores. Adicionar imagens. Arquivar notas. Fixar notas. Listas de tarefas. Etiquetas de notas. Classroom / Jamboard (2,0h) Criar uma aula. Convidar alunos e outros docentes. Adicionar avisos e partilhar conteúdo. Adicionar tarefas. Trabalhar com documentos, folhas de cálculo e apresentações do Google. Mapas (2,0h h) Criar, editar e personalizar mapas para partilhar online. Adicionar colaboradores. Adicionar marcadores, coleções e locais. Youtube / Fotos (2,0h) Criar, editar e personalizar vídeos para partilhar online. Gerir permissões. Adicionar legendas. Criar um canal. Agendar estreias. Adicionar colaboradores. Apresentação e discussão de trabalhos (2,0h)

Metodologias

A carga horária desta ação de formação é de 25 horas (3 sessões presenciais/online síncronas de 3h cada e 16 horas de sessões assíncronas). Todas as sessões presenciais/online síncronas terão uma dimensão teórica intercalada com o contacto efetivo com cada uma das ferramentas tratadas, familiarizando-se com as suas funcionalidades e aplicabilidades. Nas sessões assíncronas os formandos irão criar conteúdos disciplinares e desenvolver destrezas na utilização eficaz das ferramentas disponíveis, de forma a rentabilizar o tempo e aumentar a produtividade e qualidade do trabalho produzido, utilizando o e-mail institucional da respetiva escola, bem como as ferramentas disponibilizadas pelo ecossistema Google Workspace. Todas as evidências produzidas pelos formandos são partilhadas online no Moodle do Centro de Formação. No final, os formandos irão visitar os sites (portfolio) de cada colega a fim de produzir uma grelha de heteroavaliação permitindo uma avaliação entre pares, em relação aos objetivos propostos.

Avaliação

• Avaliação contínua, por parte do formador, da participação dos formandos nas sessões síncronas. • Heteroavaliação, entre pares, dos portfólios partilhados no Moodle do Centro de Formação. • Elaboração de um relatório sobre a aplicabilidade desta ação na sua atividade profissional. • Os formandos serão avaliados de acordo com a legislação em vigor, numa escala classificativa de 1 a 10 valores com arredondamento à décima e com os seguintes critérios aprovados pela Comissão Pedagógica: De 1 a 4,9 valores – Insuficiente; de 5 a 6,4 valores – Regular; de 6,5 a 7,9 valores – Bom; de 8 a 8,9 valores – Muito Bom; de 9 a 10 valores – Excelente.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Manuais online (textos, vídeos e tutoriais) distribuídos pela Google e disponíveis em: www.youtube.com/playlist?list=PLU8ezI8GYqs7tAIAv9qFoYM7F02L251Ai ; https://gsuite.google.pt/intl/pt-PT/training/ ; https://edu.google.com/intl/pt-BR_ALL/teacher-center/training/?modal_active=none ; https://docs.google.com/presentation/d/1vBYG6WVcU1PINWtJlP0TEe6HKgbEkT4DkckvBRXbX6k/edit#slide=id.g16d05a8fa7_0_1794 ; https://support.google.com/a/answer/1631886?hl=pt-BR ; • Attwell, G. (2007). Web 2.0 and the Changing Ways We are Using Computers for Learning: What are the Implications for Pedagogy and Curriculum?, eLearningEurope.infoDirectory. Obtido em 10 de 06 de 2015, de www.elearningeuropa.info/files/media/media13018.pdf • Barroso, M., & Coutinho, C. (2009). Utilização da ferramenta Google Docs no Ensino das Ciências Naturais: um estudo com alunos de 8º ano de escolaridade. Revista Iberoamericana de Informática Educativa. Espanha, n.9, jan-jun 2009, p. 10-21. Obtido em 18 de 05 de 2015, de http://www.adie.es/iecom/index.php/IECom/article/view/5/152 • Marques, C. G. (2008). Ferramentas Google: Page Creator, Docs e Calendar.. In. Carvalho A. - Manual de Ferramentas da Web 2.0 para Professores. Ministério da Educação – Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular, pp. 83-104. Obtido em 11 de 06 de 2015, de http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/8286


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 13-10-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 18-10-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 20-10-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 25-10-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 27-10-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 10-11-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 17-11-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 24-11-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial

Ref. 133ACD 22/23.08 Em avaliação

Registo de acreditação: ACD 22/23.08

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 3.0 horas

Início: 12-10-2022

Fim: 12-10-2022

Regime: Presencial

Local: EB 23 de Paula Vicente

Destinatários

Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação deformação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

O surgimento de algumas situações de conflito na escola entre pares; O facto de algumas famílias em situações pontuais de violência sentirem que devem intervir pela pressão psicológica e/ou física no exterior da escola e comparecerem com esse intuito; Algumas dificuldades sentidas pelos docentes na diferenciação dos vários graus de gravidade dos comportamentos de violência.

Objetivos

• Refletir sobre a realidade em relação às situações de violência/bullying reportadas/identificadas/percebidas; • Perceber a importância das relações estimulando: a brincadeira; a cooperação; o respeito pelas diferenças; aprendizagem de estratégias assertivas; desenvolvimento de capacidades de resiliência; promoção do otimismo; • Identificar comportamentos de risco; • Estratégias para envolver as crianças nas soluções e promover a participação das famílias.

Metodologias

Com base em metodologias construtivas, ativas e dialéticas, Partilha de histórias e discussão de soluções.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.


Observações

Formadora: Maria Amália Martins Rebolo Marques


Ref. 141TIC 22/23.08 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-107881/20

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 11-10-2022

Fim: 29-11-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides e b-learnig

Formador

Nuno José de Almeida Albano

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

A integração da tecnologia e dos dispositivos móveis no contexto da escola levanta sérios desafios de segurança e exige uma formação esclarecida sobre princípios e modos de atuação assertivos, por um lado, mas também uma atuação consistente preventiva e formativa que se reflita no comportamento responsável por parte de todos dentro ou fora da escola. O objetivo principal desta oficina de formação é sensibilizar os docentes e a comunidade educativa para as questões da Cibersegurança, e promover uma utilização crítica, responsável e segura da Internet, dos dispositivos móveis e dos ambientes virtuais. De uma forma geral, esta formação irá abarcar os seguintes objetivos: • Incentivar a reflexão sobre as oportunidades e desafios da segurança no mundo digital; • Valorizar o uso seguro das redes, dos sistemas de informação e dos dispositivos digitais; • Capacitar para o uso seguro da Internet, dos dispositivos móveis e dos ambientes virtuais; • Promover boas práticas de Cibersegurança nas comunidades educativas. Terá por base a o projeto Seguranet, que é um projeto da responsabilidade da ERTE, da DGE. Faz parte integrante do consórcio público-privado Centro Internet Segura em parceria com FCT, IPDJ e Microsoft Portugal. Com este curso pretende-se dotar os professores de competências que lhes permitam trabalhar as temáticas da segurança digital em contexto de sala de aula, proporcionando-lhe, simultaneamente a possibilidade de aprender, e de aprender a aprender, através dos seus dispositivos móveis ou fixos, em segurança.

Objetivos

Com o curso pretende-se atingir os seguintes objetivos: Incentivar a reflexão sobre as oportunidades e desafios da segurança no mundo digital; Valorizar o uso seguro das redes, dos sistemas de informação e dos dispositivos digitais; Capacitar para o uso seguro da Internet, dos dispositivos móveis e dos ambientes virtuais; Promover boas práticas de Cibersegurança nas comunidades educativas. E de uma forma mais concreta: − Explorar e analisar as ações e recursos digitais do projeto SeguraNet; − Analisar e debater as temáticas respeitantes à utilização segura da Internet e dos dispositivos móveis; − Analisar e debater metodologias de acordo com o público-alvo, tendo em vista as ações informação/sensibilização; − Analisar a integração curricular das temáticas relacionadas com a utilização das tecnologias digitais; − Fomentar a criação de redes de aprendizagem colaborativa no âmbito da segurança digital; − Contribuir para uma mudança na organização e nos métodos pedagógicos mantendo a segurança digital.

Conteúdos

Módulo 1: A Cibersegurança (1 horas) Neste primeiro módulo é abordada a temática da Cibersegurança de um modo geral. Módulo 2: Ameaças e Cibercrime /Legislação (3 horas) Este módulo desenvolve três subtemas, a saber: A Internet criou o crime Global; Ameaças Frequentes; Direitos das Crianças na Internet. Módulo 3: Políticas Seguras nas Escolas (3 horas) O terceiro módulo aborda as seguintes temáticas: Nível de segurança; Segurança Comunicacional e Computacional; Procedimentos CERT-ERA; Medidas técnicas de mitigação do risco de privacidade. Módulo 4: Práticas Seguras nas Escolas (3 horas) Neste módulo será tratado o modo como nas escolas são ou deveriam ser abordadas as questões do Cibercrime e da Cibersegurança. Módulo 5: O projeto SeguraNet (3 horas) Dimensão portuguesa da rede Insafe. As iniciativas e ações do projeto SeguraNet: Desafios SeguraNet; Selo de Segurança Digital; Sessões de sensibilização nas escolas; Recursos educativos digitais. Módulo 6: Conhecer a Rede: os desafios e os riscos (6 horas) A tecnologia e a Sociedade. Os riscos associados à utilização da Internet e dos dispositivos móveis. Medidas de sensibilização para evitar os riscos associados à utilização da Internet e dos dispositivos móveis. As linhas de apoio: Linha Alerta e Linha Ajuda. Módulo 7: Segurança digital: uma questão de educação (4 horas) Integração no currículo nacional das temáticas relacionadas com a utilização das tecnologias digitais. As questões relativas aos direitos de autor, à veracidade e fiabilidade das fontes, ao plágio e licenciamentos abertos e termos de utilização. Metodologias de acordo com o público-alvo, tendo em vista as ações de informação/sensibilização. Projetos no âmbito da segurança digital nas Escolas. Partilha e avaliação dos trabalhos (2 horas

Metodologias

A opção por um Curso de 25 horas justifica-se pelas interações múltiplas formador-formando-formando, com partilha de conhecimento e de experiências, em que os formandos são incentivados, por problemas propostos, a realizarem aprendizagens significativas com contextualização na escola de origem. As atividades propostas intercalam a apresentação teórica de conteúdos e serão desenvolvidas com a preocupação de ligação aos contextos e vivências profissionais dos participantes. Englobam sugestões de leituras, vídeos, entre outros, e a realização de tarefas de caráter prático que lhes facilitem a sensibilização dos respetivos alunos para a importância da cibersegurança e para a utilização responsável de tecnologia e de dispositivos móveis. A conclusão da formação implica a obrigatoriedade da elaboração de uma proposta de projeto no âmbito da segurança digital. O curso de formação tem por base uma disciplina alocada na Moodle do Centro de Formação Calvet de Magalhães e que visa disponibilizar aos formandos os recursos apresentados e servir de plataforma de comunicação e entrega de trabalhos

Avaliação

• Avaliação contínua, por parte do formador, dos trabalhos realizados pelos formandos e apresentados de forma escrita e prática ao longo das sessões. • Elaboração de um relatório sobre a aplicabilidade desta acção na sua actividade profissional. • Os formandos serão avaliados de acordo com a legislação em vigor, numa escala classificativa de 1 a 10 valores com arredondamento à décima e com os seguintes critérios aprovados pela Comissão Pedagógica: De 1 a 4,9 valores – Insuficiente; de 5 a 6,4 valores – Regular; de 6,5 a 7,9 valores – Bom; de 8 a 8,9 valores – Muito Bom; de 9 a 10 valores – Excelente

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 11-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Presencial
2 13-10-2022 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 18-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 25-10-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 08-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 15-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 22-11-2022 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 29-11-2022 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Presencial

Ref. 152PPD 22/23.06 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-109417/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 30.0 horas

Início: 01-10-2022

Fim: 26-11-2022

Regime: Presencial

Local: None

Formador

Ana Boino Azevedo Eliseu

Teresa Garcia Fernandes

Destinatários

Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Educadores de Infância;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º Ciclo; Professores do 2º Ciclo; Professores do 3º Ciclo/Ensino Secundário; Educadores de Infância;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães/ Os Filhos de Lumière

Razões

Fundada no âmbito da Porto 2001 Capital Europeia da Cultura a Associação Os Filhos de Lumière tem desenvolvido um vasto programa de educação para o Cinema, passando, em 2006, a fazer parte de um programa pedagógico internacional coordenado pela Cinemateca Francesa, em parceria com a Cinemateca portuguesa, que tem permitido desenvolver de forma apoiada uma metodologia inovadora no meio escolar que tem dado os seus frutos em 15 países da Europa e do Mundo. Cinema, Cidadania e Desenvolvimento é uma oficina de formação que surge no âmbito do programa europeu de educação para o cinema Shortcut (“Histórias Curtas, Grandes Questões”) com a participação da associação. Promovido pela Fundacja Centrum Edukacji Obywatelskiej (Polónia), este projeto centra-se na abordagem ao filme de curta-metragem como objeto artístico e como forma de reflectir sobre as questões fundamentais da cidadania, da inclusão e dos direitos humanos. O programa implica uma escolha de filmes e a criação de ferramentas pedagógicas para abordar questões de cinema e cidadania e a elaboração de uma metodologia a desenvolver com docentes. A oficina de formação dirigida a professores insere-se nesta lógica com o intuito de transmitir e aplicar estratégias pedagógicas partilhadas entre quatro países parceiros (Polónia, República Checa, Irlanda do Norte e Portugal) junto dos docentes e comunidades escolares.

Objetivos

Familiarizar os docentes com a criação cinematográfica - com uma linguagem e um conteúdo próprios - como forma pedagógica para ajudar “a ler”, a imaginar, e a questionar o mundo. - Promover estratégias de criação de relações entre a arte e a criatividade. - Promover estratégias que favoreçam espírito de partilha e cooperação entre jovens, crianças e adultos em torno do visionamento e discussão sobre os filmes. - Explorar novas formas pedagógicas de pensar e abordar as questões de cinema e cidadania. - Propor atividades que facilitem o desenvolvimento do aluno na sua capacidade de pensar, exprimir e de se relacionar com o mundo, no seu contacto com a comunidade e com a sua identidade.

Conteúdos

A ação desenvolver-se-á num total de 30 horas, das quais 15 horas se distribuem por 5 sessões presenciais intercaladas com 15 horas de sessões autónomas em que os formandos trabalham com os respetivos alunos, em tarefas baseadas nos temas/atividades abordados nas sessões presenciais.

Metodologias

Sessões presenciais -Implicam o envolvimento de formandos e formadores com recurso a uma metodologia teórico-prática assente no visionamento de excertos de filmes de curta-metragem (da coleção do programa), na discussão de questões fundamentais de cinema e sua relação com os temas de cidadania e inclusão, utilizando os recursos pedagógicos. Estas sessões incluem um conjunto de projeções-debate a realizar em sala de cinema (ou similar) com os filmes do projeto Shortcurt que culminam com a proposta de atividades a serem realizadas em sala de aula. Sessões autónomas -Estas sessões, que implicam a realização de exercícios propostos pelos cadernos pedagógicos e ou de atividades desenvolvidas pelos formandos, são realizadas com os respetivos alunos, em contexto de sala de aula, intercalando-se com as sessões presenciais. As sessões seguem também um sistema de tutorias em que os cineastas formadores acompanham os docentes na sua abordagem pedagógica das práticas e recursos sobre os filmes visionados com alunos.

Avaliação

Os formandos são avaliados tendo em conta a sua participação nas sessões presenciais, o trabalho desenvolvido nas sessões autónomas, registado nas folhas de sumários e apresentado na última sessão, e o relatório final de que consta a aplicabilidade dos conteúdos abordados nesta oficina à sua atividade letiva, à prática utilizada e procedimento. • Os formandos serão avaliados conforme legislação em vigor com base numa Escala classificativa de 1 a 10 valores com arredondamento à décima e com os seguintes critérios aprovados pela Comissão Pedagógica: De 1 a 4,9 valores – Insuficiente; de 5 a 6,4 valores – Regular; de 6,5 a 7,9 valores – Bom; de 8 a 8,9 valores – Muito Bom; de 9 a 10 valores – Excelente.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Filmografia a partir da colecção do programa Shortcut: - “Rafa” de João Salaviza (2012, Portugal, 25 min) - “La Peur, Petit Chasseur” de Laurent Achard (2004, França, 9 min) - “História Trágica com Final Feliz” de Regina Pessoa (2005, Portugal, 7 min) - “Mindenki” (Canta) de Kristóf Déak (Hungria, 2016, 25 min) - “Os Olhos do Farol” de Pedro Serrazina (Portugal, 2010, 15 min)


Observações

Após a inscrição pode proceder ao pagamento transferindo a verba de 15,00 € utilizando o: NIB: 0781 0112 0112 0012 91 310 ou IBAN: PT500 781 01 120 112 001 291 310 Após efetuar o pagamento deve carregar o comprovativo de transferência na conta de formando.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 01-10-2022 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
2 06-10-2022 (Quinta-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
3 15-10-2022 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
4 25-10-2022 (Terça-feira) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial
5 26-11-2022 (Sábado) 10:00 - 13:00 3:00 Presencial

Ref. 154TIC 22/23.04 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117393/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 29-09-2022

Fim: 24-11-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides e On-line

Formador

Paula Rolo Abrantes

Destinatários

Educadores de Infância;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

Considera-se fundamental no PTD a integração e capacitação digital dos educadores de infância nas suas práticas pedagógicas. Esta capacitação representa uma forte aposta no processo de valorização e no desenvolvimento profissional dos docentes no domínio da literacia digital e das competências digitais, no sentido de os dotar das competências necessárias à integração transversal, de modo a que estas se afirmem como facilitadoras das práticas profissionais e pedagógicas e, simultaneamente, promotoras de inovação no processo de ensino e de aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores é o referencial que dá suporte a este plano, contribuindo para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional.

Objetivos

Pretende-se apoiar os educadores de infância na promoção de estratégias e de ações integradoras do digital que permitam melhorar a qualidade do trabalho realizado. São objetivos específicos da oficina: Conceber, selecionar e partilhar recursos digitais no âmbito da educação de infância; Integrar o digital nas propostas educativas, numa perspetiva da articulação plena das aprendizagens; Planificar, avaliar e comunicar com recurso ao digital. Capacitar os docentes da EPE para a promoção da utilização crítica e responsável de diferentes suportes digitais nas atividades do quotidiano das crianças.

Conteúdos

1. Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. (1h) 2. Exploração de estratégias de promoção do uso pedagógico de tecnologias digitais. (2h) 3. Exploração, seleção e adequação de Recursos Educativos Digitais (RED) ao contexto de aprendizagem. (3h) 4. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. (2h) 5. Exploração de recursos digitais de apoio ao planeamento e à avaliação das aprendizagens. (3h) 6. Planificação de atividades, projetos e outras metodologias com recurso às tecnologias digitais. (3h) 7. Utilização de estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da cidadania digital das crianças. (3h) 8. Apresentação e partilha das atividades desenvolvidas pelos formandos na oficina. (3h) 9. Reflexão e debate sobre as atividades apresentadas e análise dos resultados obtidos pela sua implementação. (3h) 10. Avaliação e conclusões. (2h)

Metodologias

Sessões presenciais/online (síncronas: 9h; assíncronas: 16h) As sessões síncronas são destinadas: - à exploração, reflexão e articulação das OCEPE com a integração dos ambientes digitais nas aprendizagens das crianças; - à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; - à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; Nas sessões assíncronas pretende-se: - a planificação e criação de atividades a implementar na educação pré-escolar, que promovam o desenvolvimento das CD dos docentes; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados das atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha. Sessões de trabalho autónomo (25h) Na componente de trabalho autónomo, pretende-se que os formandos implementem as atividades planificadas nas sessões síncronas e assíncronas, em situações reais de ensino-aprendizagem, tendo por base as OCEPE, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. A implementação da Oficina tem por base uma disciplina criada no Moodle do Centro de Formação Calvet de Magalhães e que visa disponibilizar aos formandos os recursos apresentados e servir de plataforma de comunicação e entrega de trabalhos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho de reflexão final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdf • Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. • Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation.European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf • Kampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally-Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf • Lopes da Silva, I., Marques, L., Mata, L. e Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME/DGE. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf

Anexo(s)

Ficha da ação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 29-09-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
2 06-10-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 13-10-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 20-10-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 27-10-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 03-11-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 10-11-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 24-11-2022 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Presencial

Ref. 154TIC 22/23.07 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117393/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 26-09-2022

Fim: 05-12-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides e On-line

Formador

Ana Cláudia Ferreira Amaral

Destinatários

Educadores de Infância;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

Considera-se fundamental no PTD a integração e capacitação digital dos educadores de infância nas suas práticas pedagógicas. Esta capacitação representa uma forte aposta no processo de valorização e no desenvolvimento profissional dos docentes no domínio da literacia digital e das competências digitais, no sentido de os dotar das competências necessárias à integração transversal, de modo a que estas se afirmem como facilitadoras das práticas profissionais e pedagógicas e, simultaneamente, promotoras de inovação no processo de ensino e de aprendizagem. O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores é o referencial que dá suporte a este plano, contribuindo para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional.

Objetivos

Pretende-se apoiar os educadores de infância na promoção de estratégias e de ações integradoras do digital que permitam melhorar a qualidade do trabalho realizado. São objetivos específicos da oficina: Conceber, selecionar e partilhar recursos digitais no âmbito da educação de infância; Integrar o digital nas propostas educativas, numa perspetiva da articulação plena das aprendizagens; Planificar, avaliar e comunicar com recurso ao digital. Capacitar os docentes da EPE para a promoção da utilização crítica e responsável de diferentes suportes digitais nas atividades do quotidiano das crianças.

Conteúdos

1. Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. (1h) 2. Exploração de estratégias de promoção do uso pedagógico de tecnologias digitais. (2h) 3. Exploração, seleção e adequação de Recursos Educativos Digitais (RED) ao contexto de aprendizagem. (3h) 4. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. (2h) 5. Exploração de recursos digitais de apoio ao planeamento e à avaliação das aprendizagens. (3h) 6. Planificação de atividades, projetos e outras metodologias com recurso às tecnologias digitais. (3h) 7. Utilização de estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da cidadania digital das crianças. (3h) 8. Apresentação e partilha das atividades desenvolvidas pelos formandos na oficina. (3h) 9. Reflexão e debate sobre as atividades apresentadas e análise dos resultados obtidos pela sua implementação. (3h) 10. Avaliação e conclusões. (2h)

Metodologias

Sessões presenciais/online (síncronas: 9h; assíncronas: 16h) As sessões síncronas são destinadas: - à exploração, reflexão e articulação das OCEPE com a integração dos ambientes digitais nas aprendizagens das crianças; - à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; - à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; Nas sessões assíncronas pretende-se: - a planificação e criação de atividades a implementar na educação pré-escolar, que promovam o desenvolvimento das CD dos docentes; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados das atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha. Sessões de trabalho autónomo (25h) Na componente de trabalho autónomo, pretende-se que os formandos implementem as atividades planificadas nas sessões síncronas e assíncronas, em situações reais de ensino-aprendizagem, tendo por base as OCEPE, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. A implementação da Oficina tem por base uma disciplina criada no Moodle do Centro de Formação Calvet de Magalhães e que visa disponibilizar aos formandos os recursos apresentados e servir de plataforma de comunicação e entrega de trabalhos.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho de reflexão final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://ec.europa.eu/education/sites/education/files/document-library-docs/deap-swd-sept2020_en.pdf • Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. • Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation.European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf • Kampylis, P., Punie, Y. & Devine, J. (2015); Promoting Effective Digital-Age Learning - A European Framework for Digitally-Competent Educational Organisations. Disponível: http://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC98209/jrc98209_r_digcomporg_final.pdf • Lopes da Silva, I., Marques, L., Mata, L. e Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME/DGE. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/ocepe/sites/default/files/Orientacoes_Curriculares.pdf

Anexo(s)

Ficha da ação



Ref. 128TIC 22.23.03 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116818/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 23-09-2022

Fim: 26-11-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides e On-line

Formador

Hugo Renato Peres Caldeira

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

- Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

Presencial- As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho autónomo - Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME.

Anexo(s)

Ficha da Ação


Observações

Todos os Formadores desta Oficina de Formação, realizaram a Ação de Formação: "Formação de Formadores de Capacitação Digital de Docentes" com o número de acreditação CCCFC/ACC-108771/20, promovida pela Direção Geral de Educação.

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 23-09-2022 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
2 24-09-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial
3 24-09-2022 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona
4 21-10-2022 (Sexta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Presencial
5 22-10-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
6 22-10-2022 (Sábado) 14:00 - 17:00 3:00 Online síncrona
7 26-11-2022 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
8 26-11-2022 (Sábado) 14:00 - 18:00 4:00 Online síncrona

Ref. 126TIC 22/23.01 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117002/22

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 20-09-2022

Fim: 29-11-2022

Regime: b-learning

Local: Escola Secundária de Fonseca Benevides e b-learnig

Formador

Ana Cláudia Ferreira Amaral

Destinatários

Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. De acordo com o artigo 15.º da Portaria n.º 192-A/2015, de 29 de junho, esta ação de formação releva para a progressão da carreira dos professores bibliotecários, incluindo-se na dimensão científica e pedagógica.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino

Metodologias

Presencial - As sessões presenciais/síncronas são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Trabalho Autónomo -Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei nº 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.º 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

Comissão Europeia (2020). Blended learning in school education – guidelines for the start of the academic year 2020/21. Disponível em: https://www.schooleducationgateway.eu/pt/pub/resources/ publications/blended-learning-guidelines.htm Comissão Europeia (2018). Plano de Ação para a Educação Digital. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/PT/TXT/PDF/?uri=CELEX:52018DC0022&from=EN Lucas, M., & Moreira, A. (2018). DigCompEdu: Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores. Aveiro: UA Editora. Licht, A.H, Tasiopoulou, E., & Wastiau, P. (2017). Open Book of Educational Innovation. European Schoolnet, Brussels. Disponível em: http://www.eun.org/documents/411753/817341/ Open_book_of_Innovational_Education.pdf Ministério da Educação (2017). Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Lisboa: ME

Anexo(s)

Ficha da Ação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 20-09-2022 (Terça-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial
2 21-09-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 11-10-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 12-10-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Presencial
5 25-10-2022 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 26-10-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 09-11-2022 (Quarta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 29-11-2022 (Terça-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Presencial

Ref. 136PPD 22/23.04 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114639/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 16-09-2022

Fim: 15-10-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Artística de Dança do Conservatório Nacional

Formador

Maria Sofia d'Orey da Cunha Santiago

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação Calvet Magalhães

Razões

Atualmente, observa-se uma enorme dispersão por parte dos alunos que se reflete em dificuldades de concentração, de aprendizagem, de perseverança e, ainda, dificuldades em lidar com a frustração. O Yoga, uma prática milenar que utiliza a respiração como elo de ligação entre corpo e mente, promove a integração do indivíduo munindo-o de ferramentas para o autoconhecimento e para relação intra e interpessoal, alicerçando a relação entre professores e alunos. A utilização consciente da respiração contribui para regular a ansiedade, a hiperatividade, e os aspetos relacionados com o excesso de competitividade, característicos do mundo atual. A meditação tem como objetivo principal centrar o indivíduo em si mesmo, dando-lhe o espaço e o tempo que necessita para se conhecer melhor, e poder relacionar-se de forma mais harmoniosa com os seus pares. Não se trata de fazer aulas de yoga, mas de recorrer a pequenos exercícios de respiração e de relaxamento que podem ser praticados durante alguns minutos nas aulas e que ajudam o aluno a controlar o stress, despertando a sua criatividade e contribuindo para recuperar a confiança em si próprio. Trata-se, pois, de uma alternativa metodológica para enfrentar a crise do ensino e o stress (especialmente importante nas situações de confinamento que temos vivido) recorrendo à utilização de exercícios simples de relaxamento e respiração, próprios do yoga. A investigação tem mostrado os bons resultados destas práticas a nível do ensino-aprendizagem e os próprios alunos descobrem seus benefícios e acabam por solicitar sua prática.

Objetivos

Pretende-se que os docentes adquiram ferramentas que lhes permitam lidar (especialmente importante após situações de confinamento que temos vivido) com alunos que apresentam altos níveis de ansiedade e fragilidades ao nível de: disciplina; métodos de trabalho; concentração; dedicação, persistência e em enfrentar a frustração. Objetivos específicos: - Adquirir conhecimentos sobre os princípios gerais do Astanga Yoga e sua aplicação à prática dos Asana (posturas) e pranayama (estudo da respiração). - Apropriarem-se de ferramentas que lhes permitam contribuir para melhorar a capacidade de atenção/intenção como estão referidas nos princípios de Patanjali desenvolvidos por B. K. S. Iyengar - Apropriarem-se de ferramentas que lhes permitam contribuir para melhorar a forma física e mental e promover um bem-estar geral dos alunos em sala de aula. - Aprender técnicas de respiração e meditação - Aplicar os conhecimentos desenvolvidos na ação em contexto de sala de aula.

Conteúdos

Sistematização teórica dos princípios de Patanjali desenvolvidos por B. K. S. Iyengar (3 h) - Prática de asana/posturas (4 horas) - Pranayama - estudo da respiração (4 horas) - Exploração de estratégias para a aplicação prática de exercícios em contexto de sala de aula (5 horas) - Desenvolvimento de propostas de aplicação das aprendizagens em sala de aula (5 horas) - Apresentação e debate das propostas de atividades a implementar em sala de aula (4 horas)

Metodologias

A formação desenrolar-se-á com base numa sessão teórica introdutória e as restantes de cariz prático: • Abordagem teórica, a partir de leitura e discussão de textos, dos fundamentos e princípios do Yoga tendo como base os Yoga Sutras de Patanjali e a “Árvore do Yoga” ambos desenvolvidos por B. K. S. Iyengar (3 horas) • Prática de Asana /Posturas em que os formandos realizam as posturas propostas pela formadora, identificando dificuldades e reconhecendo os benefícios (4 horas) • Prática de Pranayama em que os formandos estudam e observação a respiração. com base numa metodologia de progressão. (4 horas) • Realização de exercícios complementares e preparatórios de suporte às posturas (2horas) • Realização de exercícios de meditação (3 horas) • Elaboração de propostas de aplicação das aprendizagens em sala de aula (5 horas) • Apresentação e discussão das propostas de atividades a implementar em sala de aula (4 horas)

Avaliação

• Avaliação contínua, por parte do formador, dos trabalhos realizados pelos formandos e apresentados de forma escrita e prática ao longo das sessões. • Elaboração de um relatório sobre a aplicabilidade desta ação na sua atividade profissional. • Os formandos serão avaliados de acordo com a legislação em vigor, numa escala classificativa de 1 a 10 valores com arredondamento à décima e com os seguintes critérios aprovados pela Comissão Pedagógica: De 1 a 4,9 valores – Insuficiente; de 5 a 6,4 valores – Regular; de 6,5 a 7,9 valores – Bom; de 8 a 8,9 valores – Muito Bom; de 9 a 10 valores – Excelente.

Modelo

Aplicação de inquéritos por questionários aos formandos e aos formadores.

Bibliografia

• B. K. S. Iyengar, (2013). The Tree of Yoga. HarperCollins Publishers • B. K. S. Iyengar, (2014). Yoga Sutras de Patanjali. Integral Yoga Publications • B. K. S. Iyengar, (2003). Light on Yoga. HarperCollins Publishers • Farhi, Donna. (2005). Bringing Yoga to Life. HarperCollins Publishers • Pantanjali. (2020). Yoga-Sutra - Aforismos de Yoga. Editora CLUC

Anexo(s)

Ficha da Ação


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 16-09-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
2 17-09-2022 (Sábado) 09:30 - 13:30 4:00 Presencial
3 24-09-2022 (Sábado) 09:30 - 13:30 4:00 Presencial
4 24-09-2022 (Sábado) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial
5 30-09-2022 (Sexta-feira) 18:00 - 20:30 2:30 Online síncrona
6 01-10-2022 (Sábado) 09:30 - 13:30 4:00 Presencial
7 15-10-2022 (Sábado) 09:30 - 13:30 4:00 Presencial
8 15-10-2022 (Sábado) 15:00 - 17:00 2:00 Presencial

Não existem ações.